Compartilhe

A vida está envolta em mistério e, só assim, podemos compreender a sua altura, profundidade e largura. Mas, para muitas pessoas a morte é o fim de tudo: ‘morreu acabou’!

O que você pensa disso? Realmente: ‘morreu acabou’?

O olhar sobre a morte é, geralmente, de aniquilamento, destruição, ponto final e fim de tudo. E, por causa disso a vida se torna uma absurda fuga da morte para dentro de um mundo de ilusões. Ai, sim, está a verdadeira morte-aniquilamento, morte-destruição, morte-ponto-final e morte-fim-de-tudo.

O mistério da vida está para o mistério da morte como o rio está para o mar: um se compreende no outro.

Na verdade, não dá para entender o mistério da vida, com todos os seus desafios, senão, a partir do mistério da morte. É uma questão de sentido e de valor! De fato, não é possível falar da grandeza da vida, senão pelas diversas lutas, renúncias, crises, dificuldades, sofrimentos, inseguranças e desafios. A grandeza da vida não está noutra coisa, senão, na superação, no crescimento, no avanço, no vôo, na aprendizagem…

Seria muito importante se soubéssemos entender a vontade de Deus a nosso respeito, nesse mundo de males. Não estamos no mundo para cumprir uma pena. Antes, estamos no mundo para conhecer e experimentar o poder da vida em Deus no mistério da vida e da morte.

O ponto fundamental da fé é este: Deus nos quer vivos! Mas, vivos nele!

“…eu lhes transmiti aquilo que eu mesmo recebi, isto é: Cristo morreu por nossos pecados, conforme as Escrituras; ele foi sepultado, ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras. Aquilo que sou, eu o devo à graça de Deus; e sua graça dada a mim não foi estéril. Ao contrário: trabalhei mais do que todos eles; não eu, mas a graça de Deus que está comigo” (cf. 1Cor 15,1-4.10).

Afinal de contas, no que você acredita? Em quem você acredita? O que você espera? O que a fé traz de esperança? Será que há vida depois da morte? Tudo não se acaba?

“Ora, se nós pregamos que Cristo ressuscitou dos mortos, como é que alguns de vocês dizem que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, então Cristo também não ressuscitou; e se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é vazia e também é vazia a fé que vocês têm.

“Se os mortos não ressuscitam, então somos testemunhas falsas de Deus, pois estamos testemunhando contra Deus, ao dizermos que Deus ressuscitou a Cristo. Pois, se os mortos não ressuscitam, Cristo também não ressuscitou.  E se Cristo não ressuscitou, a fé que vocês têm é ilusória e vocês ainda estão nos seus pecados. E desse modo, aqueles que morreram em Cristo estão perdidos. 19 Se a nossa esperança em Cristo é somente para esta vida, nós somos os mais infelizes de todos os homens” (1Cor 15,12-19).

A ressurreição é muito mais do que um fato, é um ato de fé. Não é da razão, é do coração; não é da carne, é do espírito; não é da inteligência, é da sabedoria, não é do tempo, é da eternidade; não é de amanhã, é do presente.

A ressurreição é da fé e a fé não é irracional!

“Cristo ressuscitou dos mortos como primeiro fruto dos que morreram (…). Pois é preciso que ele reine, até que tenha posto todos os seus inimigos debaixo dos seus pés. O último inimigo a ser destruído será a morte, pois Deus tudo colocou debaixo dos pés de Cristo (…) para que Deus seja tudo em todos” (1Cor 15,20-28)

O testemunho da ressurreição de Cristo é que todos nós morreremos e se quisermos dar um sentido à vida, não podemos deixar de pensar a morte.

Viva Cristo ressuscitado dentre os mortos!

Compartilhe

Deixe uma resposta