Abraçadeiras de plástico “seguram” rachaduras em viaduto
Compartilhe

 

Pedestres e ciclistas que passam pelo viaduto ferroviário de São Torquato, em Vila Velha, estão reclamando da precária estrutura do local. O guarda-corpo está bastante danificado e com ferragens expostas. Em alguns pontos, onde há fissuras, a estrutura recebeu abraçadeiras plásticas e fitas para tenta conter o problema. O material feito em nylon, que também recebe a recebe denominação de fita Hellerman, é destinado a várias aplicações devido à grande resistência à tração.

 

A cena quase inusitada das abraçadeiras improvisadas na manutenção do viaduto chamou a atenção de um ouvinte da Rádio CBN Vitória. Quem também passa todos os dias pelo viaduto é o estudante Maycon Lima. Ele diz que as presilhas de plástico foram colocadas nas rachaduras há cerca de três meses. “É uma situação perigosa, porque essa construção já existe há bastante tempo e não tem nenhum sinal de manutenção. Eles até tentaram fazer esse paliativo, mas tem mais de três meses que colocaram isso aí’, disse.

 

Além do guarda-corpo danificado, o local para passagem dos pedestres está com buracos e gera incômodos. O pedreiro Jean Carlos Souza passa pelo viaduto de bicicleta e reclama a falta de uma ciclovia. Ele diz que precisa dividir espaço com carros e caminhões para fazer a travessia. “Com certeza é perigoso. Se continuar assim, se encostar ali cai (o pedaço do guarda-corpo). Eu passo aqui embaixo (pelo asfalto) porque é melhor. Em cima, quando passa por cima esbarra no pedestre, a situação a é pior”, disse o ciclista.

O engenheiro civil Jaime Veiga, diretor técnico da Associação Brasileira de Engenheiros Civis (ABENC), explicou que não existem normais técnicas que orientem para a aplicação de abraçadeiras plásticas como medida de prevenção para rachaduras em estruturas de concreto. Ele acredita que a medida foi adotada por alguém sem conhecimento técnico, com intenção de evitar a queda de pedaços do viaduto. O engenheiro também afirmou que a falta de manutenção preventiva é uma das principais causas para a precarização de estruturas como o viaduto de São Torquato.

 

O secretário de obras de Vila Velha, Luiz Otávio Machado, afirmou que uma equipe da prefeitura será enviada ao viaduto para possíveis reparos emergenciais no viaduto. O representante da prefeitura argumentou que obras de maior porte, como toda a revitalização do viaduto, ainda não têm prazo previsto, pois necessitam da elaboração de um projeto. Luiz Otávio Machado afirmou que não tem conhecimento sobre quem colocou as abraçadeiras e fitas plásticas nas rachaduras. “A gente não tem conhecimento disso. A ideia é a gente retirar o risco. Se tiver qualquer material que está desprendido da estrutura e pode causar algum risco de acidente, nós vamos eliminar esse risco. Essa é a primeira ação que a gente faz. A gente vai fazer uma ação imediata para remover o risco”, explicou o secretário.

 

Fonte: CBN de Vitória

Compartilhe

Deixe uma resposta