Compartilhe

Pena pelo crime de feminicídio contra Jefferson Felipe da Silva Balbo foi definida durante julgamento em sessão do Tribunal do Júri. Kelen Renata dos Santos de Oliveira tinha 20 anos; crime aconteceu em abril de 2019.

O homem acusado de matar a ex-namorada a tiros em Marília (SP), em abril 2019, foi condenado a 21 anos de reclusão. A definição aconteceu na tarde desta quinta-feira (24) após seis horas de julgamento durante sessão do Tribunal do Júri realizada no Fórum da cidade.

Os jurados consideraram Jefferson Felipe da Silva Balbo como culpado de assassinar a tiros a ex-namorada, Kelen Renata dos Santos de Oliveira. O crime aconteceu no dia 16 de abril de 2019 e a vítima tinha 20 anos na época.

Jefferson foi condenado por homicídio triplamente qualificado, sendo as qualificadoras o motivo torpe, o uso recurso que dificultou a defesa da vítima e cometido por razões de condição do sexo feminino (feminicídio).

De acordo com a mãe da vítima, o acusado a chamou para conversar no portão de sua casa, na zona Norte de Marília, na tentativa de reatar o namoro. Assim que a filha saiu da casa, a mãe ouviu três disparos. Kelen foi atingida na cabeça e no quadril.

O acusado, que foi visto por testemunhas deixando o local do crime, foi preso pela Polícia Militar dois dias após o crime. Ele estava escondido na casa de parentes e tentou fugir ao ver a viatura, mas acabou capturado.

Ainda de acordo com a mãe de Kelen, Jefferson já havia ameaçado a vítima no dia anterior e chegou a ir até a casa dela armado. O acusado já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas.

Segundo denúncia do Ministério Público (MP), o crime foi motivado por “motivo torpe” e “sentimento de propriedade à vida da vítima”. O relacionamento de ambos era conturbado, segundo testemunhas.

Fonte: g1

Compartilhe

Deixe um comentário