SUDESTE ASIÁTICO. A ministra Tereza Cristina da Agricultura,  pretende amplia a presença de produtos brasileiros na Ásia. A comitiva brasileira está em viagem de 16 dias por quatro países do continente asiático – Japão, China, Vietnã e Indonésia. Durante a visita, a ministra vai discutir com as autoridades japonesas a abertura de mercado para material genético, abacate, estabilizantes, extrato de carne e carnes bovinas. Na China, alguns dos debates serão sobre exportação de produtos de organismos geneticamente modificados, suco de laranja, novas tecnologias, melão, status sanitário de produtos brasileiros e possibilidade de habilitação de frigoríficos e empresas de lácteos.

SEGURO RURAL. O presidente Jair Bolsonaro anunciou R$ 1 bilhão para o Seguro Rural do Plano Safra 2019/2020, que será lançado no dia 12 de junho. Bolsonaro participou da abertura do Agrishow em Ribeirão Preto (SP), ao lado da ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e outras autoridades governamentais. Com o anúncio, a verba destinada ao Seguro Rural aumentará. 
INTERNACIONAL. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em parceria com o Ministério da Economia, promoveu a integração total da certificação das exportações de produtos vegetais ao chamado Portal Único de Comércio Exterior. Com essa medida, o exportador encaminha documentos de forma eletrônica e cumpre exigências de diferentes órgãos em um único lugar.

CIDADANIA/ACESSIBILIDADE. No estande do Governo do Estado de São Paulo na 26ª Agrishow em Ribeirão Preto, o Secretario da Agricultura, Gustavo Junqueira reforçou os ganhos para a zona rural que virão com a implantação do Programa Rotas Rurais. “Temos uma preocupação muito grande com o desenvolvimento rural sustentável, com as áreas onde as pessoas não têm o mesmo nível de serviço das cidades. Vamos dar um endereço para cada propriedade e isso trará mais segurança e facilidade para a zona rural”, ressaltou.

RENDA. Os produtores rurais que visitaram a 25ª Agrishow conheceram as novas tecnologias e inovações desenvolvidas pela pesquisa paulista para melhorar a produtividade, reduzir os custos de produção e disponibilizar para os consumidores produtos seguros e com alta qualidade. Os trabalhos buscam a produção sustentável econômica e ambientalmente. Foram apresentadas oito tecnologias para melhorar a renda e a qualidade de vida no campo, 1) Grãos mais produtivos; 2) Tecnologia sustentável; 3) Tecnologia para aplicação segura de defensivos agrícolas; 4) Produção de muda de cana com menos energia; 5) Produção integrada; 6) Café robusta de alta qualidade; 7) Cogumelos frescos aumentam em 40% os lucros dos produtores; 8) Técnica ajuda a prevenir doença do maracujá.
PREÇOS. Os feriados nas últimas semanas travaram as vendas de manga, uma vez que reduziram os dias de negociação. Além disso, segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, a colheita de palmer continua aumentando. A redução da demanda europeia pela fruta brasileira, que perderam espaço para as mangas africanas ao longo de maio.
LEITE. Depois de acumular alta real de 18,9% no primeiro trimestre de 2019, o movimento de valorização do leite ao produtor perdeu força de março para abril. Segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia aplicada), da Esalq/USP, a “Média Brasil” líquida de abril (referente à captação de março) foi de R$ 1,4920/litro, variação de 0,92% (ou de praticamente um centavo) frente ao mês anterior. 
AUTOMAÇÃO/INOVAÇÃO. A automação das atividades agrícolas e a mecanização das lavouras têm atraído cada vez mais o público jovem para o campo. Com perfil empreendedor e dinâmico, o jovem tem contribuído para a modernização da produção agropecuária nacional. O surgimento da Internet das Coisas e das plataformas de serviços em nuvem, por exemplo, tem despertado o interesse de novos profissionais especializados no desenvolvimento de softwares para o agronegócio. 
FPA. Em reunião da Frente Parlamentar de Agropecuária (FPA), durante a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), o presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), afirmou que os produtores rurais precisam ser reincluídos no processo produtivo, com renda capaz de pagar as suas dívidas. “Um país não pode deixar ao relento pessoas que tanto contribuem para gerar emprego e renda”, disse.

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia