Após 24 anos, idoso mostra banheiro onde concretou mulher
Compartilhe

Um crime cometido em 1994 só foi descoberto agora porque o assassino decidiu contar tudo para a polícia. Jairo Narciso da Silva, de 64 anos, procurou a delegacia e relatou que matou a mulher Luzineide Leal Militão e a enterrou dentro do banheiro de uma casa na cidade de Sinop, em Mato Grosso.

Na última sexta-feira, 2, a Polícia Civil fez escavação no local encontrando uma bolsa e a identidade da vítima. Já a ossada foi encaminhada para perícia e DNA a fim de confirmar se é mesmo de Luzineide.

Crédito: Arquivo Pessoal – Luzineide Leal Militão foi morta aos 28 anos de idade

Jairo alega que matou a mulher por ciúmes, mas a versão que contou para a família foi que ela havia ido embora de casa. Os filhos da vítima estão abalados e não querem comentar o caso.

Feminicídio

Desde 2015 existe uma lei que considera o feminicídio crime hediondo com pena de 12 a 30 anos de prisão. Feminicídio é o homicídio de mulheres como crime hediondo quando envolve menosprezo ou discriminação à condição de mulher e violência doméstica e familiar.

Documentos de Luzineide foram enterrados no local do crime

A lei define feminicídio como “o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino”, e a pena prevista para o homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos.

Compartilhe