Assassinato de mulher em Cândido Mota pode ter relação com homofobia, diz Polícia Civil

A Polícia Civil de Cândido Mota (SP) investiga se o homem de 34 anos suspeito de ser o autor dos disparos que mataram uma mulher de 27 anos durante confusão em uma chácara, no sábado (11/08), cometeu o crime motivado por homofobia.

 

De acordo com o boletim de ocorrência, Angélica Mendes Teodoro, de 27 anos, teria sido assassinada porque o suspeito não aceitava o relacionamento homoafetivo de sua irmã com a vítima.

 

O crime aconteceu durante um churrasco promovido pela família do suspeito. Segundo o registro, após uma discussão entre integrantes das famílias do suspeita e da vítima, o homem sacou uma arma de fogo e fez disparos.

 

Dois tiros acertaram Angélica, no abdômen e na cabeça. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Os disparos também feriram a mãe e o irmão da vítima que estavam no local. Eles foram encaminhados para a Santa Casa de Cândido Mota e depois transferidos para o Hospital Regional de Assis.

 

De acordo com o delegado Gustavo Barbosa de Siqueira, a suspeita de homofobia é apenas uma das linhas de investigação, e que nenhuma hipótese foi descartada. A consolidação dessa suspeita, explica o delegado, virá com os depoimentos de testemunhas, que ainda serão ouvidas.

 

 

Na segunda-feira (12/08), a Polícia Civil iniciou as buscas pelo suspeito. O caso foi registrado como homicídio qualificado, tendo como agravante a impossibilidade de defesa da vítima.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia