Bandidos tingem pedras e areia para misturar com fertilizantes roubados
Compartilhe

Ação da quadrilha foi interrompida pela Polícia Militar que descobriu localização da ‘mini-fábrica’ de adubo falso durante busca a uma carga de insumo roubada no sul do estado

Foi durante a busca por um caminhão, roubado no distrito de Garça Branca (município de Alto Garças), no sul de Mato Grosso, que a polícia chegou ao galpão usado pela quadrilha, já no distrito industrial de Rondonópolis. É o que explica o Tenente Coronel Gleber Candido, comandante da décima-quarta Companhia Independente da Força Tática da Polícia Militar.

“Nós fomos informados de que havia acontecido um roubo, onde o motorista estava sob cárcere privado nas mãos dos ladrões e nós conseguimos – num primeiro momento – recuperar o cavalo mecânico abandonado na zona rural do município de Rondonópolis. Seguindo as informações repassados pelos proprietários, conseguimos localizar a carga roubada num barracão no momento em que a quadrilha especializada estava adulterando a carga. Percebam que, além de roubar a carga, eles a adulteram para poder revender no mercado”, comenta.

Ao lado do adubo roubado, os policiais encontraram equipamentos, bags e várias caixas de um corante usado para falsificar fertilizantes. “O pessoal pega um adubo qualquer ou mesmo pedrinhas, que têm valores menores, e descarrega aqui. Joga dentro da betoneira, acrescenta estes corantes e aí transforma ‘milagrosamente’ em cloreto, que tem um valor agregado muito maior”, narra em vídeo um policial militar que participou da operação.

Na avaliação dos policiais, a “mini-fábrica” de insumo falso estava preparada para adulterar várias cargas e prejudicar muitos agricultores. “O estoque do Xadrez (corante usado para o tingimento) aqui tá bom, tem bastante. Dá para fazer muitas toneladas”, comenta outro policial durante a abordagem.

“No momento da abordagem havia cinco pessoas no galpão. Três conseguiram evadir e duas foram presas em flagrante. Porém, as que fugiram foram identificadas. A carga foi recuperada. Então, nós prendemos esta quadrilha e agora a Polícia Judiciária Civil segue com as investigações”, detalha o Tenente-Coronel Cândido.

O caso é mais um que confirma como o campo se tornou alvo dos criminosos e serve de alerta para os produtores, especialmente neste período pré-plantio. “Neste momento de colheita de safra, principalmente de milho, é contumaz o aumento destas ocorrências na nossa região. Por isso nós temos intensificado as rondas e os patrulhamentos juntamente com a Polícia Judiciária Civil, no intuito de prender e tirar de circulação estas quadrilhas que vêm aterrorizando os motoristas aqui na região sul do estado”, conclui o comandante da décima-quarta Companhia Independente da Força Tática da Polícia Militar.

FONTE: Canal Rural

 

Compartilhe