Bebê que inalou fumaça de casa em chamas morre após ficar seis dias hospitalizado
Bebê foi internado após casa pegar fogo em Angatuba e morreu seis dias depois — Foto: Reprodução/TV TEM
Compartilhe

O bebê de 11 meses que inalou fumaça após ficar dentro de uma casa em chamas no Jardim Ana, em Angatuba, não resistiu e morreu após seis dias internado.

A morte foi confirmada por familiares à imprensa nesta quinta-feira (26). No dia 2 deste mês, o bebê foi levado em estado grave para o pronto socorro da cidade e transferido para o Hospital Regional de Sorocaba.

Segundo a família, no dia 8 ele morreu por falência múltipla dos órgãos. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Itapetininga e seguiu para Angatuba, onde foi velado e enterrado.

RELEMBRE O CASO

Casa pegou fogo em Angatuba (SP) — Foto: Reprodução/TV TEM

Casa pegou fogo em Angatuba — Foto: Reprodução/TV TEM

Segundo a polícia, a mãe de 23 anos e duas crianças, uma menina de 5 anos e o bebê, estavam dormindo na casa, na manhã de segunda-feira (2), quando a mãe acordou e percebeu o fogo na residência.

Ainda conforme a polícia, a mulher conseguiu tirar a menina mais velha da casa, mas quando voltou para resgatar o bebê, o incêndio tinha se alastrado e a impediu de entrar no imóvel. Vizinhos arrombaram a janela e conseguiram salvar o bebê.

Ainda segundo os policiais, a criança não se queimou, mas inalou a fumaça e ficou com a saúde comprometida por causa do calor intenso das chamas.

Segundo a família, no dia 8 ele morreu por falência múltipla dos órgãos. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Itapetininga e seguiu para Angatuba, onde foi velado e enterrado.

A polícia informou que a mãe e a menina de 5 anos tiveram poucos ferimentos. A perícia esteve na casa, que ficou destruída.

Um boletim de ocorrência por incêndio culposo, quando não já intenção, foi registrado. Um inquérito vai ser aberto e as testemunhas, ouvidas.

As causas do incêndio ainda estão sendo investigadas pelo Instituto de Criminalística de Itapetininga.

FONTE: G1

 

Compartilhe