Bombeiros fazem buscas por possíveis desaparecidos durante temporal em Botucatu
Trechos da Marechal Rondon (SP-300) foram fechados por conta da chuva em Botucatu — Foto: Arquivo pessoal

Corporação estava atendendo acidente, quando viu o momento em que um caminhão foi ‘engolido’ por uma cratera na rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu; um carro foi levado pela enxurrada na ponte Capivarinha, distrito de Vitoriana

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil fazem buscas por possíveis desaparecidos durante o temporal que atingiu Botucatu, interior de São Paulo, nesta segunda-feira (10).

Segundo a corporação, o primeiro é o motorista de um caminhão que desapareceu após cair em uma cratera aberta na rodovia Marechal Rondon (SP-300). O grande volume de água fez parte da pista desmoronar, no quilômetro 258, próximo ao pedágio.

Uma equipe de bombeiros que estava socorrendo duas vítimas de um acidente, em Santa Maria da Serra, e passava pelo local viu o momento em que o veículo foi “engolido”.

“No momento em que o caminhão estava passando, a roda de trás afundou no asfalto. Ele empinou, já virou de lado e sumiu na cratera”, disse o cabo do Corpo de Bombeiros Clauderval José Bento.

Equipes da Polícia Militar Rodoviária, Corpo de Bombeiros e da concessionária que administra a rodovia, além do Helicóptero Águia, da PM, estão tentando localizar o veículo e o motorista. Não se sabe se havia mais pessoas no veículo.

Além do caminhão, moradores contaram que um carro com duas pessoas foi arrastado pela correnteza na ponte Capivarinha, distrito de Vitoriana. Bombeiros e a Polícia Militar foram acionados e fazem buscas pelos ocupantes do veículo. Ainda não se sabe a identidade dos moradores.

No quilômetro 258, próximo ao pedágio, a pista desmoronou e um carro foi parar no canteiro da rodovia — Foto: TV TEM/Reprodução

No quilômetro 258, próximo ao pedágio, a pista desmoronou e um carro foi parar no canteiro da rodovia — Foto: TV TEM/Reprodução

Segundo o prefeito Mário Pardini, até o momento trabalham com três sumidos. “Nós não tivemos registro de nenhuma vítima fatal na área urbana. Mas agora a gente apura no distrito de Vitoriana, na ponte do Rio Capivari e na Marechal Rondon onde abriu uma cratera a possibilidade de 2 a 3 vítimas fatais”, diz o prefeito.

Interdições

Ainda de acordo com os bombeiros, no mesmo local em que o caminhão foi ‘engolido’, um carro ficou “cravado” no canteiro da rodovia após ser arrastado pela água.

Segundo a concessionária, o motorista foi retirado do veículo sem lesões. Outro carro também ficou parcialmente submerso e duas pessoas foram resgatadas pelos bombeiro

O trecho da Marechal Rondon foi completamente interditado nos dois sentidos, sem previsão para liberar. Além disso, a serra de Botucatu, do quilômetro 236 ao 240, foi fechado porque uma grande quantidade de lama e pedras invadiu a rodovia.

Rodovia Marechal Rondon (SP-300) foi interditada do quilômetro 236 ao 240 em Botucatu — Foto: Arquivo pessoal

Rodovia Marechal Rondon (SP-300) foi interditada do quilômetro 236 ao 240 em Botucatu — Foto: Arquivo pessoal

A concessionária também anunciou interdição total no quilômetro 249, na faixa 2 da pista leste do quilômetro 253, na pista leste do 167 e na oeste do 163. Além disso, as rodovias SP-251 e SP-241 foram completamente interditadas.

A rota alternativa passada aos usuários que seguem no sentido leste é retornar no trevo do quilômetro 240 e seguir até a João Hipólito Martins (SP-209), seguindo para a SP-280 e retornando para a Marechal Rondon, em Bofete.

Já para os motoristas que seguem oeste, no pedágio de Anhembi estão sendo orientados a retornar ao km 227 e acessar a SP-280 por Bofete, seguindo para a SP-209 e retornando para a Rondon em Botucatu.

Estragos na cidade

A chuva também causou estragos dentro da cidade e a prefeitura de Botucatu decretou estado de calamidade. Pessoas ficaram ilhadas e tiveram que ser resgatadas de bote pelo Corpo de Bombeiros. A Defesa Civil contabilizou 10 famílias desabrigadas que foram levadas para o Ginásio Municipal.

Moradores foram levados para o Ginásio Municipal após ficarem desabrigados em Botucatu — Foto: Arquivo pessoal/Rafael Lazarini Mendes

Moradores foram levados para o Ginásio Municipal após ficarem desabrigados em Botucatu — Foto: Arquivo pessoal/Rafael Lazarini Mendes

Uma ponte desabou e causou problemas em adutoras de água tratada que atendem as regiões oeste, sul e leste da cidade. Casas também desmoronaram e deixaram moradores desabrigados.

O Ambulatório de Especialidades do Hospital das Clínicas também teve que suspender o atendimento nesta segunda-feira por causa da chuva. O prédio vai passar por manutenção por conta dos estragos causados pela chuva e o serviço deve ser retomado nesta terça-feira.

FONTE: G1

Compartilhe
Fechar Menu
Não Permitido Cópia