Brasil terá o primeiro casamento naturalista católico
Noivos casarão nus no interior de São Paulo
Compartilhe

O primeiro casamento naturista católico do Brasil já tem data marcada, convite virtual publicado na internet e muita repercussão entre religiosos e na mídia nacional.

Em vez de vestidos longos, paletó e gravata e a pompa tradicional, apenas uma canga – utilizada na hora de se sentar. Os noivos também estarão muito à vontade: vão dizer o “sim” completamente nus. Vestido mesmo deve comparecer apenas o padre, que, mesmo sendo adepto do naturismo, estará paramentado com batina e estola, como manda o ritual religioso.

A data é o próximo 25 de maio, mês das noivas, em um sítio no município de Igaratá, região de São José dos Campos, no interior de São Paulo. Devem oficializar a união a pedagoga Gislaine Serafim Rodrigues, de 35 anos, e o advogado Douglas Abril Herrera, de 55 anos.

Ambos são praticantes do naturismo há muito tempo e o matrimônio deverá acontecer em evento organizado pelo grupo Nós Naturistas, que congrega adeptos do naturismo e dissemina valores dessa filosofia de vida.

Convite virtual do casamento de Gislaine e Douglas — Foto: Arquivo Pessoal

Ouvida pela imprensa, a noiva contou que a decisão de uma cerimônia naturista foi como a própria filosofia de vida da qual é adepta: muito natural.

“Moramos juntos já faz um bom tempo e decidimos regularizar nossa situação perante a sociedade”, relata. “De início, só queríamos nos casar no civil e com os familiares mais próximos. Mas percebemos que a maioria dos nossos amigos é naturista. Então por que não celebrar uma data importante com as pessoas que gostamos, com um estilo de vida que também nos encanta?”

Gislaine garante que “a cerimônia será como a convencional”. “O diferencial é que todos estarão sem as roupas de festa e utilizarão uma canga para se sentar”. Ou seja, tudo conforme a etiqueta da filosofia naturista, em que cangas são acessórios indispensáveis ao se sentar, por questões de higiene e respeito.

 

Decisão tomada, o casal esbarrou em um problema sério, que seria um padre disposto a enfrentar esse desafio, que nem chega a ser um problema a , pois segundo o casal a Igreja Católica não é contrária à prática. “Não há posicionamento oficial sobre naturismo ou nudismo. Há, no entanto, cuidados propostos por moralistas quanto ao respeito e ao pudor diante da intimidade humana e sexual”, explicou o filósofo e teólogo Fernando Altemeyer Júnior, professor do Departamento de Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

O empecilho é quanto ao local. Salvo raríssimas exceções, como um quadro grave de saúde que impossibilite o deslocamento de noivos ou seus pais, a Igreja Católica não permite a celebração do matrimônio em ambiente que não seja dentro de uma igreja.

“Os padres [católicos apostólicos romanos] concedem apenas uma bênção fora da igreja e, para isso, teríamos de fazer todo o cerimonial na instituição religiosa também”, diz a noiva. “Por meio de um amigo, conhecemos o padre Daniel, que também é praticante [do naturismo] e foi bem receptivo à ideia.”

Portanto, o matrimônio não será católico apostólico romano, mas sim católico ortodoxo americano. Padre Daniel Ferreira, de 60 anos, o celebrante, é membro desse clero desde 1992 e já foi pároco em Guarulhos. Atualmente, ocupa o cargo de chanceler da Igreja Católica Apostólica Reunida no Brasil, instituição considerada coirmã da americana.

Ferreira confirma que recebeu o convite para celebrar a união por meio de um amigo em comum com os noivos. “Também sou naturista e tenho plena consciência de que todos estão nus por baixo de qualquer vestimenta. Na cerimônia, estarei paramentado porque é o hábito que diferencia o monge, pois não ficaria bem um padre sem paramentos dando uma bênção, independentemente do objeto dessa benção”, diz ele.

Tanto o sacerdote quanto o grupo Nós Naturistas afirmam que se trata do primeiro casamento naturista celebrado por um padre no Brasil, mas por enquanto não existe muita confirmação da presença de convidados não naturalistas.

 

Compartilhe