Brasília com placas de Bauru ‘viaja’ de navio para os EUA por dois meses e chama atenção nas ruas dos EUA
Brasília azul chama atenção nas ruas de Orlando nos Estados Unidos — Foto: Helvio Astrogildo Pellegrini Napoleão/ Arquivo pessoal
Compartilhe

Uma Brasília azul modelo 1974 está chamando a atenção nas ruas de Orlando, nos Estados Unidos. Não só pela raridade do veículo em território norte-americano, mas também pela placa da cidade de Bauru (SP).

Tudo começou quando o empresário Nivaldo Galbiatti, que é da cidade do interior de São Paulo, viu o veículo e se espantou com a coincidência da Brasília ser justamente de Bauru.

“Eu peguei o celular e fiz um vídeo para mandar para os meus amigos que gostam de carros antigos. Porque já era praticamente impossível uma Brasília nos Estados Unidos e quando vi a placa, eu tinha que registrar. Mas não imaginava a repercussão. Muita gente não acredita até agora, acha que é fake”, conta.

No dia que fez o vídeo, Nivaldo conheceu o dono da Brasília azul. Helvio Astrogildo Pellegrini Napoleão é de Itapuí, cidade que fica 50 km de Bauru, mas mora há 20 anos na região de Orlando, onde trabalha como caminhoneiro.

Para levar para os EUA o carro que pertencia ao pai, ele teve que enfrentar a burocracia do Brasil. Foram cinco anos de tentativas frustradas.

“Eu sempre esbarrava em alguma coisa da documentação. Estava quase desistindo quando um amigo meu, Paulo Erdman, que é despachante topou o desafio e fez todos os trâmites com Receita Federal, alfândega”, lembra o caminhoneiro.

Brasília se destaca no estacionamento do prédio do caminhoneiro, mas fica na casa dos amigos do brasileiro, o casal Glener e Rebeca, que tem garagem coberta: "Cuidam dela quando estou na estrada." — Foto: Arquivo pessoal

Brasília se destaca no estacionamento do prédio do caminhoneiro, mas fica na casa dos amigos do brasileiro, o casal Glener e Rebeca, que tem garagem coberta: “Cuidam dela quando estou na estrada.” — Foto: Arquivo pessoal

Viagem de navio

A Brasília saiu do porto de Santos com destino à Jacksonville. Mas toda a viagem, do momento que o veículo saiu da oficina em Itapuí até chegar na cidade portuária nos Estados Unidos, levou dois meses.

“Meu primo viajou com ela até o porto de Santos no dia 9 de dezembro. Ela embarcou no navio e passou pela Bahia, República Dominicana, Costa Rica, México, até chegar em Jacksonville no dia 9 de fevereiro.”

Helvio não revelou quanto gastou para levar o carro para os EUA, mas garante que foi mais do que ela vale em termos de mercado. “Ela está toda reformada e foi muito bem cuidada pelo meu amigo Sebastião de Freitas todos esses anos, mas gastei mais para trazê-la do que o valor dela.”

“Mas, claro que tem o valor sentimental. É um pedacinho do meu país, da minha história que eu pude trazer para cá. Isso dá uma gratidão muito grande no coração. Além de ser uma recordação do meu pai.”

Raridade

A Brasília 74 era um dos xodós do pai de Hélvio, que era mecânico em Itapuí. Além do modelo azul, a família também tem outro veículo do mesmo modelo, de cor vermelha, que pertencia a mãe do caminhoneiro. Essa outra Brasília continua em Itapuí sob os cuidados do amigo que é mecânico.

Antes de levar o veículo do pai para Orlando, Hélvio, que visita o Brasil pelo menos três vezes por ano para ver a mulher Adriana que vive no país, costumava passear com os carros antigos pela cidade de Itapuí.

“O pessoal sabia que estava no Brasil quando via as Brasílias pelas ruas de Itapuí, todo mundo se conhece e sabe da minha paixão pelos carros. Quando o vídeo viralizou um monte de gente ligou perguntando se era a minha Brasília azul, muita gente não acreditava que tinha trazido ela para cá.”

A Brasília percorrendo as rodovias dos Estados Unidos também surpreendeu muita gente. Helvio conta que na viagem de Jacksonville até Orlando foi parado inúmeras vezes por gente curiosa sobre o carro.

“Uma delas era um brasileiro, que é do Nordeste, mas o pai era de Bauru, ele ficou abismado de ver uma Brasília nos Estados Unidos e ainda mais com placa de Bauru”, conta.

O veículo também foi atração em um evento de carros antigos que é realizado semanalmente na região de Orlando. No evento, os carros desfilam pelas ruas da cidade e a Brasília azul foi anunciada várias vezes pelos locutores.

“Eles valorizam muito os carros antigos aqui. No Brasil, eu não consegui a placa preta de colecionador porque disseram que o carro não tinha mais de 80% de originalidade. Mas, aqui consegui a placa dos carros antigos, que é azul e como os veículos só tem a placa traseira, vou manter a placa original de Bauru como enfeite no para-choque dianteiro”, finaliza.

fonte: G1

Compartilhe