Compartilhe

Imagens que circulam em redes sociais mostram registros das câmeras de um hotel na avenida Reginalda Leão, no centro de Palmital, onde o marceneiro Anísio Francisco dos Santos, o Alemão, foi morto a tiros na manhã de 10 de fevereiro. O crime foi praticado pelo corretor de imóveis Izael Aparecido dos Santos Nascimento, de 48 anos, que se apresentou à Polícia Civil cerca de 30 horas depois do homicídio.

O vídeo, com imagens do interior e da área externa do hotel, mostra Izael, cuja moto estava estacionada em frente ao estabelecimento, com camiseta branca e boné vermelho. No início da gravação, ele estava em pé ao lado do balcão conversando com o proprietário, Maurício El Zouk. Logo depois da passagem da Montana vermelha de Alemão, o corretor foi até a porta e percebe que o marceneiro havia estacionado nas proximidades.

Izael retorna para dentro da recepção e mexe na cintura para ajeitar a pistola calibre 380. Em seguida, espera pela aproximação de Alemão e saca a arma para atirar a queima-roupa, quando Anísio chegava à porta do estabelecimento, sem que até então tenha havido qualquer reação de Maurício, que permanecia sentado. Devido à baixa qualidade das imagens, não é possível confirmar se o marceneiro fez algum gesto de sacar arma – a perícia não encontrou nenhum artefato com a vítima.

Depois de baleado, Alemão caiu na porta do hotel e Izael pulou por sobre o corpo, vestiu o capacete que estava no guidão da moto e saiu pela contramão na Avenida Reginalda Leão, rumo ao bairro Paraná, enquanto Maurício se levantou e correu para outro cômodo. Izael permaneceu foragido até a tarde de 11 de fevereiro, quando se entregou à polícia e, por ter a prisão provisória decretada pela Justiça, foi levado para a Cadeia Pública de Lutécia. O marceneiro, que deixou mulher e dois filhos, foi sepultado em Florínea.

Depois de se entregar à polícia, quando apresentou a arma usada no homicídio, o corretor alegou que foi perseguido e ameaçado por Alemão nos dias que antecederam ao crime.

O inquérito do homicídio foi concluído e relatado no último final de semana pelo delegado Mateus Silva ao Judiciário da Comarca. Izael ainda está na prorrogação da prisão temporária decretara pela Justiça, que deve vencer na próxima semana. O Ministério Público está analisando o processo, que inclui representação da autoridade policial pela manutenção do corretor no encarceramento por meio da decretação da prisão preventiva.

Compartilhe

Deixe um comentário