Caminhoneiro de Palmital infectado com covid-19 não teve contato com familiares e amigos, diz esposa
Compartilhe

A esposa do caminhoneiro de 54 anos que foi infectado pelo coronavírus na Bahia contou ao JC que, apesar dos sintomas leves e do nervosismo por conta da doença, ele apresenta um quadro de saúde estável. Ela destacou que, por suspeitar que estivesse com o covid-19, o motorista chegou a Palmital no início da tarde de terça-feira (19/05) e, conscientemente, se manteve em isolamento domiciliar sem ter contato com familiares ou amigos até a confirmação por exame laboratorial na quinta-feira (21/05). Em seguida, foi levado para o Hospital Regional de Assis, onde está em isolamento para passar por exames e tratamento médico nos próximos dias.

 

A mulher, que preferiu o anonimato, contou que todos os anos o motorista vai para a Bahia, onde passa de 30 a 40 dias transportando grãos para produtores rurais. “No Dia das Mães [10 de maio], ele percebeu que não estava muito bem por apresentar tosse seca, perda de paladar e febre, que era controlada com medicamento. Estava em uma região que recebe gente de todo o Brasil e que praticamente não teve a quarentena de isolamento social, pois o comércio continuou aberto e as pessoas mantiveram a rotina”, contou ela.

 

Depois de suspeitar que tivesse a doença, contou a esposa, o motorista concluiu seu serviço e retornou para Palmital com o caminhão vazio, não tendo pegado nenhuma carga para evitar que tivesse de passar por algum local para descarregar e pudesse causar risco de transmitir o covid-19. “Ele chegou na terça-feira, na hora do almoço, e já entrou pelos fundos de nossa casa e se alojou em um quarto sem contato com a família. Na quarta-feira, conseguimos um laboratório para fazer o exame particular e, na quinta-feira, levei o resultado do exame que confirmou o coronavírus até o posto de saúde”, informou.

 

Após a confirmação da infecção, a Secretaria de Saúde da Prefeitura providenciou a internação do motorista no Hospital Regional de Assis, que é referência para pacientes com covid-19 na região. “Ele está bem, apesar da tosse e do diabetes descompensado por causa do nervosismo com a doença, da viagem e da perda do olfato, que comprometeram sua alimentação. Desde que apresentou os sintomas, ele manteve contato com familiares e amigos somente por telefone, não tendo falta de ar ou outras complicações da doença, felizmente”, disse a esposa.

 

A mulher contou que a família está cuidando para evitar a propagação do coronavírus. As medidas incluem a limpeza dos locais onde o motorista esteve. “Na segunda-feira, antes de ele chegar, tive de cumprir alguns compromissos profissionais e saí para as ruas. Mas isto não trouxe nenhum perigo. Agora, me impus quarentena domiciliar e vou permanecer em distanciamento social até o risco passar. Estamos tomando todas as precauções. E esperamos que tudo isso passe em breve, com poucas pessoas sofrendo com essa doença em Palmital”, finalizou.

Compartilhe

Deixe uma resposta