Carreiro e Capataz se apresentam no aniversário de Campos Novos
Compartilhe

comarca JC

 

A Prefeitura da Estância Climática de Campos Novos Paulista, com parceria da Câmara Municipal, realiza uma grande festa neste final de semana em comemoração aos 134 anos de emancipação político-administrativa do município. A programação festiva começa na noite deste sábado com a Feira da Lua do Céu de Safira, na Praça do Sagrado Coração, reunindo entidades, produtores rurais e oferecendo produtos artesanais do município.

A partir das 21 horas, será realizado show musical com a dupla Carreiro e Capataz. Amanhã, a programação começa com missa em Ação de Graças na Matriz de São José e, a partir das 15 horas, serão disponibilizados brinquedos com a equipe do Quinzinho Play para a diversão das crianças na Praça do Sagrado Coração de Jesus.

HISTÓRIA – Campos Novos Paulista é o mais antigo município do Vale Paranapanema e foi o principal polo de atração dos pioneiros na segunda metade do século XIX, período denominado pelos historiadores como “Frente Pioneira”. O bandeirante José Theodoro de Souza se estabeleceu às margens do Rio Novo e fundou o povoado de São José do Rio Novo dos Campos Novos, que em 1868 recebeu a denominação de São José do Rio Novo. Anos depois, o povoado foi denominado São José de Campos Novos do Paranapanema e, em seguida, Campos Novos do Paranapanema.

No período de colonização, o povoado recebeu muitos imigrantes estrangeiros, além de pessoas provenientes das regiões Norte e Nordeste de São Paulo e de Minas Gerais, que deram origem às bases étnicas da população. Com uma pequena estrutura urbana, a localidade foi declarada Freguesia em abril de 1878 e Distrito Policial em junho de 1878. Em 1880, passou a Distrito de Paz, já com o nome de Campos Novos, subordinado a Santa Cruz do Rio Pardo. Em 10 de março de 1885, Campos Novos foi declarado município.

Em 1888, a população chegou a 12.811 habitantes, incluindo os distritos de Ibirarema, Palmital, Platina, Echaporã, Conceição do Monte Alegre (Paraguaçu Paulista) e Marília. Dois anos depois da emancipação, tornou-se sede de Comarca, onde funcionou o primeiro Fórum, dando início ao chamado “período trágico”, que durou 26 anos e teve como característica a política selvagem e coronelista que freou o desenvolvimento da cidade.

A decadência chegou ao ponto máximo em 1944, quando Campos Novos voltou à condição de distrito ligado ao recém-criado município de Ibirarema. Em dezembro de 1948, retomou o status de município e, em 29 de dezembro de 1955, foi elevado ao grau de Estância Climática. José Theodoro de Souza, que permaneceu à sombra das disputas que ocorriam, deixou a cidade pouco depois da fundação da freguesia e partiu rumo ao Oeste em direção a terras ainda inexploradas.

No século XX, Campos Novos não conseguiu manter o mesmo ritmo de desenvolvimento verificado inicialmente e fundamentou sua base econômica na agricultura, na pecuária e no aproveitamento dos recursos hidrominerais, que possibilitaram o desenvolvimento do turismo. A cidade ainda preserva alguns monumentos da época da colonização, como a capela do Sagrado Coração de Jesus, inaugurada pelos pioneiros em 1885 e testemunha da longa história do município. Localizada na praça central da cidade, ainda é usada para as celebrações religiosas da comunidade católica. O município, que tem atualmente 4.932 habitantes, conforme estimativa feita em 2018 pelo IBGE, registra a terceira maior população entre os municípios da Comarca de Palmital.

 

VEJA VÍDEO:

Compartilhe

Deixe uma resposta