Compartilhe

Cobra de médio porte nadava na margem do rio, em local raso, onde as pessoas costumam brincar

As histórias de cobras sucuris gigantes que vivem à beira d’água está dominando o imaginário popular com a regravação da telenovela Pantanal, pela Rede Globo de Televisão, que novamente alcança elevados índices de audiência. Entretanto, não é apenas no Pantanal do Mato Grosso que se encontram cobras grandes.

Segundo relato de pescadores do rio Paranapanema, nas proximidades da hidrelétrica de Canoas II, em Palmital, atualmente se constata maior incidência de cobras da espécie Sucuri. Nem sempre acreditados em suas história, um deles conseguiu filmar o réptil que nadava bem à margem do rio, na região da Água da Corredeira, em local raso, propício para o lazer aquático.

Durante algum tempo, na manhã de quarta-feira, 20, a serpente que parece ser uma sucuri-amarela, foi filmada e se mostrou tranquila, possivelmente à procura de algum peixe para se alimentar. Como prova da veracidade, o pescador corajoso, que produziu as imagens, autorizou a publicação no JC Online, para que não haja qualquer dúvida.

A sucuri-amarela ou sucuri-do-pantanal tem a cor de fundo amarelada, como seu próprio nome sugere. Trata-se de uma espécie de grande porte, com fêmeas atingindo cerca de quatro metros de comprimento e machos, 2,5 metros. É uma espécie generalista em seus hábitos alimentares, nutrindo-se de diferentes espécies de peixes, jacarés, capivaras, aves aquáticas e outros. Estudos a respeito da reprodução dessa espécie são escassos.

Redação JC Online

Compartilhe