Com elevada procura, vacina contra gripe acaba no primeiro dia de campanha em Palmital
Compartilhe

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Palmital iniciou nesta segunda-feira (23/03) a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Gripe, que registrou procura muito acima da expectativa e fez esgotar em poucas horas as doses disponibilizadas pelo governo estadual. Para não sobrecarregar o fluxo nas unidades básicas, evitando concentração de pessoas que pode elevar os riscos da transmissão da H1N1, com casos confirmados na região, e do coronavírus, os serviços estão sendo realizados em escolas municipais, cujo funcionamento está suspenso por tempo indeterminado devido à pandemia.

 

A Prefeitura confirmou o fim do estoque e informou que fez o comunicado ao Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de Assis, aguardando mais doses para a continuidade da campanha em Palmital. A expectativa é da retomada da campanha ainda nesta semana. Para evitar que os idosos tenham de comparecer a unidades básicas, a Secretaria de Saúde optou por utilizar as escolas municipais Maria Eulália Vieira Scalla (São José), Horácio da Silva Leite (centro) e Elisabete Soares Garcia (bairro Paraná) para realizar a imunização, que ocorre de segunda a sexta-feira das 8 às 16h30. A primeira etapa atende idosos com mais de 60 anos e profissionais da saúde.

 

A Vigilância Epidemiológica informou que recebeu para o início da campanha deste ano um lote de doses suficiente para atender 30% da população estimada de idosos e profissionais de saúde. Contudo, destacou o órgão municipal, a grande procura fez com que o estoque acabasse rapidamente. Para efeitos de comparação, conforme dados do Ministério da Saúde sobre o trabalho de imunização realizado o ano passado, as 1,2 mil doses recebidas inicialmente nesta campanha representam quase a metade do total de 3.655 pessoas com mais de 60 anos no município que foram imunizadas em 2019.

 

A reportagem esteve na manhã desta segunda-feira na escola Maria Eulália, onde observou o comparecimento de um grande número de idosos para receber a vacina. O esquema de trabalho permitia condições adequadas de prevenção ao H1N1 e ao coronavírus. Os participantes da campanha eram orientados a aguardar em fila, respeitando uma distância de 2 metros entre si, além de poderem contar com máscaras e álcool gel para a higienização das mãos. A equipe de imunização estava atendendo no galpão do prédio, uma área coberta que não tem fechamento lateral e permitia plena circulação do ar.

 

De acordo com a Secretaria de Saúde a segunda fase da campanha começa no dia 16 de abril, quando passarão a ser atendidos professores, doentes crônicos e profissionais da área de segurança pública. A terceira etapa começa em 9 de maio e terá como público crianças menores de 6 anos, gestantes, puérperas (mães de recém-nascidos), indígenas, presidiários e adultos entre 55 e 59 anos. A meta é atingir 90% de cobertura dos públicos prioritários.

 

VACINA – O Ministério da Saúde antecipou neste ano a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza como estratégia de diminuir a quantidade de pessoas com gripe nesse inverno. Para o trabalho, o Instituto Butantan produziu 75 milhões de doses que previne contra os três tipos de vírus de influenza que mais circularam no ano anterior. “As influenzas A e B são mais comuns que o coronavírus e a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe diminui a situação endêmica dos vírus respiratórios no país, por isso é tão importante que as pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha procurem uma unidade de saúde”, destacou o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

Compartilhe

Deixe uma resposta