Comerciantes e Prefeitura discutem reabertura parcial de lojas em Palmital – Confira as propostas
Compartilhe

O Sindicato do Comércio Varejista (Sincomercio) e a Prefeitura de Palmital iniciaram na segunda-feira (30/03) a discussão sobre a flexibilização das medidas para conter a propagação do coronavírus, incluindo a retomada parcial do funcionamento dos estabelecimentos não essenciais, cujo fechamento foi determinado pelo governo do Estado e regulamentado pelo município. O objetivo é atenuar a crise que se instalou no setor pela interrupção das atividades e possibilitar que as empresas obtenham renda para conseguir manter funcionários e cumprir com as obrigações com fornecedores e tributos. Houve a elaboração de algumas propostas que serão avaliadas pela municipalidade e submetidas ao Ministério Público da Comarca.

 

O debate ocorreu em reunião que durou mais de duas horas no salão da Secretaria de Educação, onde estiveram presentes o presidente do Sincomercio Ângelo Breganó, diretores da entidade, comerciantes, empresários de vários segmentos e vereadores. No encontro, que foi transmitido ao vivo pela internet, foram abordadas as medidas de prevenção ao covid-19. O prefeito José Roberto Ronqui estava acompanhado de secretários municipais e abriu o evento falando das restrições determinadas pelo governo e das medidas baixadas em Palmital.

 

Ângelo Breganó enfatizou que os comerciantes buscam alternativas manutenção das atividades, pois estão sofrendo muito com o fechamento determinado pelo governo. O presidente do Sincomercio pediu que a administração municipal auxilie o setor comercial na retomada do funcionamento, mesmo que de forma parcial, e atue na elaboração de alternativas que não infrinjam as regras estabelecidas para evitar a propagação do coronavírus.

 

Os secretários municipais de Saúde, Daniele Andrade dos Santos, de Negócios Jurídicos, Roberto Rivelino Martins, e de Administração, Lucas Miguel Lalier, além do diretor do SAS Rogério Bergonso Moreira da Silva, também participaram do encontro e responderam a perguntas formuladas pelos participantes. Foram abordadas e debatidas questões polêmicas como manutenção de cobrança de impostos e renovação alvarás, bem como as medidas estabelecidas pelo governo para auxiliar os empresários a superar a crise.

 

A equipe da Prefeitura informou que, por hora, não há mudança nas determinações feitas pelo governo e nas regras estabelecidas nos decretos municipais baixados na última semana. Os secretários municipais justificaram que as ações são baseadas em recomendações do Ministério da Saúde e em legislação estadual, sendo que o cumprimento das medidas de prevenção está sendo acompanhado pelo Ministério Publico da Comarca. Os comerciantes e empresários também tiveram a oportunidade de relatar as dificuldades em enfrentam, alertando para a inadimplência e o aumento do desemprego no município.

 

Daniele destacou as recomendações do Ministério da Saúde e falou sobre o panorama da pandemia no Brasil e das perspectivas sombrias do avanço da doença nas próximas semanas, com o comprometimento do setor hospitalar no país, além de destacar a necessidade da mobilização geral para combater a disseminação do vírus. A secretária de Saúde lembrou dos trabalhos realizados pela Prefeitura para conter a doença e enfatizou a importância dos cuidados em estabelecimentos que continuam abertos, onde ainda se vê aglomeração de pessoas, com a presença de idosos, crianças e várias pessoas da mesma família nos locais.

Ao final, houve o estabelecimento de algumas propostas para flexibilizar as restrições em Palmital, incluindo a possibilidade das lojas instalarem mesas nas portas para atender aos clientes, que poderão comprar de produtos sem entrar no prédio ou retirar itens no sistema “condicional”. Além disso, os lojistas terão de tomar todas as medidas preventivas, com álcool gel, máscaras, assepsia de máquinas de cartão e procedimentos para evitar aglomerações em frente aos estabelecimentos.

 

O encontro também definiu a possibilidade da retomada do atendimento presencial em bares, lanchonetes e restaurantes. Porém, haveria restrição ao número de clientes, com maior espaçamento de mesas e um máximo de 20% de ocupação no recinto. A Prefeitura disse que aguardará a formalização das propostas, por meio de documento a ser elaborado pelo Sincomercio, para encaminhar as demandas ao Fórum da Comarca com o objetivo de receber orientações e parecer do Ministério Público.

 

Ronqui destacou a preocupação da atual administração em seguir as recomendações e enfrentar os desafios na saúde pública. Ao mesmo tempo, o prefeito enfatizou a necessidade de garantir o funcionamento do setor comercial, que contribui para a economia e é a principal fonte de geração de empregos em Palmital. Durante a reunião, os comerciantes também sugeriram ampliar as medidas de prevenção contra o coronavírus, incluindo com a montagem de barreiras sanitárias para a limpeza de veículos que chegam à cidade.

Compartilhe

Deixe uma resposta