• Post category:Destaques
Compartilhe

Ex-pároco de Palmital teve pedido de desligamento do cargo aceito pelo papa Francisco; o bispo-emérito deverá voltar a atuar em celebrações e no atendimento a fiéis na Diocese de Assis

Após oito anos de trabalho na Diocese de Catanduva, dom Otacílio Luziano da Silva renunciou ao cargo de bispo, aos 63 anos, e disse que retomará seu trabalho de evangelização junto aos fiéis. O pedido de desligamento do cargo de administrador diocesano foi aceito na quinta-feira da semana passada pelo Papa Francisco, conforme comunicado da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Agora, o ex-pároco de Palmital assume a condição de bispo-emérito. A administração durante o período de vacância fica a cargo de dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, arcebispo emérito de Sorocaba. Não há prazo para que o Vaticano faça a indicação do sucessor.

Em entrevista ao Jornal O Regional, de Catanduva, Otacílio falou sobre o motivo que o levou à renúncia. “Eu entendo que posso ser mais útil para a Igreja ao realizar meu trabalho de outra maneira do que na condição de bispo. Com a experiência que tenho, meu desejo é poder atuar na evangelização de uma comunidade. Afastei-me da função de bispo, mas vou continuar atuando no catolicismo, celebrando missas e atendendo a população em tudo que estiver ao meu alcance”, esclareceu o bispo-emérito.

Questionado sobre a sensação de saber que a renúncia havia sido autorizada pelo Papa, dom Otacílio afirma que o sentimento foi de alegria. “Eu queria que ele aceitasse, expliquei meus motivos através do Núncio Apostólico (embaixador do Papa no Brasil) e considero que essa é a melhor decisão para o momento. Não ficarei na Diocese de Catanduva para que dom Eduardo possa realizar seu trabalho da melhor maneira e meu desejo, para o momento, é dar continuidade ao meu trabalho na Diocese de Assis”, reforçou.

Dom Otacílio também fez agradecimento a todos com quem trabalhou em Catanduva. “Agradeço aos padres, seminaristas e religiosos da Diocese de Catanduva pela acolhida e apoio durante todos esses anos. Fui muito bem recepcionado em Catanduva, desde que assumi o cargo até o momento. Não estou saindo daqui por qualquer tipo de problema, apenas por uma decisão pessoal. Nesse momento, eu entendo que devo continuar servindo a igreja, porém de outra maneira. Darei o melhor de mim nessa nova etapa da minha vida e fica o meu agradecimento a todos”, enfatizou o religioso.

TRAJETÓRIA – A CNBB divulgou nota em que agradeceu o trabalho de Dom Otacílio em Catanduva. “Neste momento, trazemos nossa palavra de gratidão ao senhor e as nossas preces por uma serena emeritude”, diz trecho de nota assinada pelo bispo-auxiliar de Brasília e secretário-geral da entidade, dom Leonardo Ulrich Steiner. Natural de Maracaí, Otacílio nasceu em 31 de outubro de 1954. Estudou Filosofia na Unesp e Teologia no Instituto Teológico Rainha dos Apóstolos, ambas em Marília, além de ser pós-graduado em parapsicologia. Foi ordenado em 6 de dezembro de 1987, em Assis.

Entre 2002 e 2008, Otacílio foi pároco de Palmital, realizando importante trabalho na Paróquia de São Sebastião. Em seguida, assumiu a Reitoria do Seminário Provincial Sagrado Coração de Jesus, em Marília e, no final de 2009, foi nomeado bispo pelo papa Bento XVI e teve a ordenação episcopal em Assis. Dom Otacílio tomou posse em Catanduva em 15 de janeiro de 2010. Em junho de 2010, recebeu o título de Cidadão Palmitalense durante sessão solene na Câmara Municipal, por meio de proposta apresentada pelo então vereador José Roberto Ronqui.

Compartilhe

Deixe uma resposta