Família de bebê com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público: ‘Cada dia mais fraca’, diz mãe.
Compartilhe

Filha de Lucas e Gláucia Cardoso, de Votorantim (SP), está na UTI desde maio deste ano esperando uma avaliação para transplante; segundo médicos, hospitais públicos especializados não aceitam transferir a menina para o tratamento.

Com apenas alguns meses de vida, uma pequena guerreira vem lutando para sobreviver. A bebê de 10 meses Alice Cardoso está desde maio deste ano internada na UTI do hospital de câncer infantil GPACI, em Sorocaba (SP), ligada a aparelhos de hemodiálise e com o fígado debilitado.

A família e o hospital contaram ao G1 que tentam diariamente a transferência da menina para um hospital especializado, porém, nenhuma medida foi tomada pelo estado, o que tem causado angústia.

Dia após dia, a mãe Gláucia Cardoso, de 24 anos, diz que enfrenta a UTI do hospital ao lado da filha. Segundo ela, depois que a criança deu entrada no hospital em maio deste ano, nunca mais saiu. Agora, Gláucia conta que o local acabou virando a nova morada da família.

“Desde que ela nasceu ela está nessa luta com a doença nos rins e no fígado. Agora nós estamos numa luta contra o tempo porque ela está muito fraca. Eu fico o dia inteiro com ela, estamos morando no hospital”, disse.

De acordo com a mãe, Alice precisa ser transferida para que um hospital especializado possa cuidar do caso e analisar a possibilidade de um transplante de fígado e rins.

“Ela está fazendo hemodiálise e o fígado dela no momento também está bem ruim. Cada dia que passa eu vejo que ela está ficando mais desnutrida e fraca”, conta.

Família de bebê de 10 meses com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Arquivo Pessoal/Glaucia Cardoso

Família de bebê de 10 meses com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Arquivo Pessoal/Glaucia Cardoso

O médico e diretor geral do GPACI, Gustavo Ribeiro Neves, explicou ao G1 o caso da menina e o motivo dela precisar com tanta urgência de uma transferência para outro hospital.

“Ela tem uma doença crônica do fígado que está evoluindo bastante, e agora começou a ter um problema renal também, ou seja, a mesma síndrome deve estar causando o comprometimento renal. Nós tentamos encaminhar ela para algum outro centro para programar transplante. Ela está desde maio com a gente e hoje ela depende da hemodiálise para viver”, disse.

Segundo o médico, nenhum centro está aceitando avaliar o caso da pequena devido ao estado de saúde dela. Entretanto, o médico explicou que há um mês Alice está liberada para ser encaminhada com segurança. Mesmo assim, o encaminhamento ainda não foi feito.

“Ela esta no GPACI há quase dois meses, estamos mantendo ela viva, mas nós não conseguimos encaminhar ela pra nenhum centro em São Paulo que aceite ao menos avaliá-la. Queremos que ela seja avaliada e que nos deem a informação de que ela tem condição ou não de ser tratada. Essa angústia para a família é incessante”, explicou.

Família de bebê de 10 meses com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Arquivo Pessoal/Glaucia Cardoso

Família de bebê de 10 meses com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Arquivo Pessoal/Glaucia Cardoso

O GPACI vem tentando contato diário com a Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS), da Secretaria de Saúde do Estado. Porém, de acordo com o diretor do hospital, ainda não receberam respostas. Enquanto isso, Gustavo conta que a bebê está sobrevivendo através da hemodiálise.

“Provavelmente não estão a aceitando porque sabem que ela tem um prognóstico muito ruim, mas se realmente for mostrado que ela não tem chances, nós vamos cuidar dela de forma paliativa. E se ela piora e vem a falecer sem ao menos saber se tem chances? Pedimos diariamente essa transferência e não temos nenhuma resposta, alegam que o estado de saúde dela não permite mas quem define se o paciente tem condições ou não de ser transferido somos nós, e nós já permitimos”.

Caso na justiça

A família decidiu entrar na Justiça para conseguir transferir a menina para outro hospital. Segundo Luis Augusto Castilho, advogado que está cuidando do caso, foi deferida uma liminar para a transferência da criança para um hospital referência no tratamento.

Além disso, o advogado explicou que a juíza teria aplicado uma multa diária à Prefeitura de Votorantim e Secretaria de Saúde do Estado, por não cumprirem com o pedido de transferência.

“A liminar foi deferida e com isso a juíza estipulou uma multa diária, para a prefeitura e o estado, de R$ 700 até o limite de R$ 700 mil, caso a criança não fosse transferida em 48 horas. Porém, foi alegado que com a piora do quadro da Alice, ela não poderia ser transferida. Com isso, a multa foi suspensa”.

Família de bebê de 10 meses com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Arquivo Pessoal

Família de bebê de 10 meses com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Arquivo Pessoal

G1 entrou em contato com a Secretaria de Saúde do Estado, que informou estar ciente do estado de saúde da paciente e auxiliando no processo de regulação apropriado para o caso, que é altamente complexo. Informou, ainda, que a transferência não poderá ser feita enquanto não houver estabilidade clínica para segurança da paciente.

A reportagem do G1 também entrou em contato com a Prefeitura de Votorantim (SP), que confirmou que a ação da família contra o município e a Fazenda Pública do Estado de São Paulo.

A prefeitura disse também que pleiteia o ressarcimento da multa e que mantém contato com a Diretoria Regional de Saúde sobre o caso, e que a equipe da DRS está ciente e tomando as medidas possíveis para encaminhamento da paciente.

A direção do hospital GPACI disse que entrou em contato com a Secretaria de Saúde do Estado novamente e enviou ao G1 uma cópia do prontuário da criança, que foi atualizado nesta quinta-feira (16), e informa que ela se encontra em “plenas condições de ser transportada” (veja abaixo).

Família de bebê com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Divulgação/GPACI

Família de bebê com rins e fígado debilitados luta na Justiça por vaga em hospital público — Foto: Divulgação/GPACI

Compartilhe

Deixe uma resposta