Família presa por fazer linguiça com carne de cachorro e gato diz à polícia que protegia os animais
Compartilhe

A família presa por vender carne de cachorro e gato em Guarapari, no Espírito Santo, disse à polícia que protegia os animais. Na casa deles, os policiais encontraram 52 animais, entre cães e gatos, em situação insalubre.

 

Pai, mãe e filha foram presos em Meaípe na sexta-feira (18/10). “Uma sujeira completamente absurda, a quantidade de animais para uma casa é completamente insalubre, alimentação, água. Nada disponível”, disse um policial.

 

No porão da casa, foram encontrados restos mortais dos animais. A participação de mais um suspeito ainda está sendo investigada. A família retirava a carne e vendia para uma outra pessoa que comercializava o produto em uma feira em Guarapari.

 

“As denúncias são da comercialização de carne e possível fabricação de linguiça, porém eles não comercializavam ali. Isso dificultou um pouco a descoberta há mais tempo”, disse uma outra policial que atendeu a ocorrência.

 

A gerente estadual de Vigilância e Saúde explicou que o abate e a comercialização da carne de cães e gatos para o consumo humano é crime.

 

“A legislação brasileira não permite o abate para consumo a carne de gato e cachorro. Tem uma lei e isso é considerado maus tratos aos animais, que são considerados animais domésticos”, disse Kelly Rose Areal.

 

A fiscalização da produção, transporte e comercialização de carne fica a cargo do governo federal e dos municípios Quem consumiu o produto deve ficar atento aos sintomas que podem aparecer

 

“Várias doenças podem acontecer, se o animal estiver infectado. A população que por acaso tenha ingerido esta carne deve ficar em observação para ver se aparecem os sintomas”, completou Kelly.

Fonte: G1

Compartilhe