Farras com mulheres e suíte presidencial na ‘prisão’ de Ronaldinho
Compartilhe

Jornal detalha as festanças de Ronaldinho e Assis com mulheres, no hotel cinco estrelas, que serve como prisão domiciliar. Elas vão terminar em breve

Dois homens solteiros.

Irmãos, apaixonados por noitadas.

Tendo à disposição um luxuosíssimo hotel cinco estrelas.

Só para os dois, por conta da pandemia.

Com direito a suíte presidencial para o mais novo.

E outra suíte, ao lado, também requintada, ao mais velho.

Ambas com camas king size, banheiras de hidromassagem.

Sofás enormes.

Piscina ao ar livre, na torre do hotel.

Com vista para toda a cidade.

Com chefes à disposição para cozinharem o que os dois desejarem.

Bebidas à disposição, desde vinhos especiais, champanhe, cerveja.

Essa vida de mordomia custa R$ 2 mil por dia.

Para transformar de vez esse pedaço do Paraguai no paraíso, faltaria companhia.

Mas nunca faltou

Modelos famosas e outras nem tanto, têm se revezado em festas particulares, que viram as madrugadas.

No mínimo, desembarcam duas mulheres.

Mas não há máximo.

Seguranças do hotel guardam com carinho seus celulares.

Para que fotos não sejam registradas das farras.

“Tem dias que chegam pelo menos duas mulheres. Parecem ser modelos. Estão sempre bem produzidas. Chegam em carros luxuosos.

“As que são conhecidas entram diretamente pelo estacionamento e as que são desconhecidas pela porta da frente do hotel. Depois o carro vem buscá-las”, detalhou o jornal paraguaio Hoy.

Suíte presidencial de Ronaldinho Gaúcha no hotel paraguaio

“Não são os dois irmãos que pedem as mulheres. Elas são um ‘favor’ de empresários paraguaios amigos. Eles contatam os ‘representantes’ das modelos, combinam um valor, pagam e vão embora.

“Os irmão não gastam um centavo. 

“O que se sabe é que Ronaldinho gosta de mulheres robustas, com carne”, disse uma testemunha do jornal. 

Desde 7 de abril esta tem sido a prisão domiciliar de Ronaldinho Gaúcho e Assis em Assunção, no hotel Palmaroga.

Pelo menos para os jornais paraguaios.

Os advogados do jogador vão por outro caminho.

“Nos primeiros meses estavam muito fortes, mas cansados. Roberto (Assis), inclusive, teve que ser internado por causa de uma hipertensão. E são cinco meses…

“Cinco meses para uma figura como ele, famosa, pessoa humilde, simples…

“Desgasta. 

“Também dentro de um caso complexo acontecem muitas coisas e desgasta.

“Hoje estão desgastados e o que mais querem é voltar ao seu país e encontrar com a mãe, aparte que estamos dentro de uma pandemia, que é um momento super-especial”, garante Oscar Mersan, um dos advogados de Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis.

Ronaldinho Gaúcho e Assis algemados, presos há cinco meses e seis dias

A verdade é que os dois estão presos há cinco meses e seis dias. Por terem entrado no país vizinho com passaportes falsificados, que os mostravam como paraguaios naturalizados.

Estão em ‘prisão domiciliar’ no luxoso hotel desde o dia 7 de abril, quando ele e seu irmão pagaram 1,6 milhão de dólares, cerca de R$ 8,6 milhões, para passarem a morar no hotel cinco estrelas.

O Ministério Público do Paraguai procurou provas de que os dois montariam um esquema de lavagem de dinheiro. Não conseguiram encontrar evidências. A não ser que Assis seria o responsável pela falsificação. Ronaldinho não saberia de nada.

Daqui 11, será fixada uma data para a soltura dos dois. Talvez até no mesmo dia. Mas eles terão de pagar uma multa de 200 mil dólares, cerca de R$ 1 milhão.

Ronaldinho segue embaixador do Turismo do Brasil. "Prisão é problema pessoal"

Ronaldinho, 90 mil dólares, R$ 483 mil. Assis, o ‘culpado’ pelos passaportes falsos, de acordo com o MP paraguaio, 110 mil dólares, cerca de R$ 595 mil. 

O Ministério do Turismo, mesmo depois desses cinco meses de prisão, mantém Ronaldinho Gaúcho como Embaixador do Brasil.

A Embratur trata a prisão como uma mera ‘questão pessoal’.

E que deverá acabar nas próximas semanas.

Para a tristeza de muitas modelos paraguaias.

Mas o ‘desgaste’ de Ronaldinho e Assis acabará…

FONTE R7

Compartilhe