Idoso tem prejuízo de quase R$ 2 mil com furto de cartão de crédito
Compartilhe

Um idoso de 77 anos teve um prejuízo de R$ 1.912,80 após ter seu cartão de crédito furtado, no Jardim Bongiovani, em Presidente Prudente, na quinta-feira (17/10). A vítima relatou no Boletim de Ocorrência que, ao sair de um banco na Avenida Coronel José Soares Marcondes, entrou em seu veículo e quando estava na Rua Pioneiro José Lorencetti, escutou um barulho, mas não detectou o que seria.

 

Nesse momento, os ocupantes de um veículo de cor branca que passava ao seu lado, gritaram que havia alguma coisa errada no seu veículo da vítima. Imediatamente o idoso parou, desceu e não observou nenhum problema, porém, um indivíduo alto, de cor branca, bem vestido, chegou a pé dizendo ser vendedor de carros e que o veículo da vítima estava com uma fumaça no motor. O tal vendedor, inclusive, pediu para a vítima abrir o capô do veículo.

 

O idoso abriu o compartimento e realmente observou que saia bem pouca fumaça. Conforme o boletim, o vendedor de carros disse ao idoso que não era bom ele sair com o carro e indagou se o mesmo tinha seguro, sendo que a vítima respondeu que sim. Nesse momento, o homem pediu o cartão do seguro e disse que ligaria para a seguradora, e assim, ajudaria a vítima.

 

Com o cartão do seguro em mãos, o indivíduo ligou para a seguradora e informou o ocorrido, inclusive passou o telefone para a vítima que também falou com o funcionário da seguradora, o qual informou que mandaria um mecânico para verificar o que havia ocorrido. Após aproximadamente dez minutos, o tal funcionário da seguradora chegou a pé, com uma maleta e roupa de mecânico, dizendo que tinha deixado seu carro ali perto e verificou o motor do carro da vítima.

 

Segundo o documento policial, o mecânico pediu para o idoso entrar no veículo, ligá-lo e desligá-lo por várias vezes. Logo depois, o funcionário da seguradora disse que o problema estava resolvido, que havia trocado uma peça, porém, a vítima não viu pois estava no interior do veículo e com o capô aberto lhe encobrindo a visão.

 

Diante do conserto, o indivíduo pegou uma maquininha de cartões e disse para a vítima passar seu cartão para o pagamento, no valor de R$ 22. O idoso colocou o cartão na máquina e digitou a senha por umas quatro vezes, pois, segundo o indivíduo, o cartão não concluía a compra.

 

Como a compra não foi efetuada, o tal indivíduo disse que a empresa mandaria um boleto para o pagamento e foi embora assim como o vendedor que havia ajudado a vítima. O idoso entrou em seu veículo e também foi embora, porém, ao chegar em casa, após uns 15 minutos, foi perguntado por sua esposa se ele havia passado o cartão em uma rede de lanchonete, no valor de R$ 13,80.

 

Espantado, a vítima disse que não e sua esposa foi até o carro para pegar o cartão de seu marido, mas não o encontrou na carteira. A mulher recebeu uma outra mensagem em seu celular de uma segunda compra realizada em uma loja, no valor de R$ 1.899, a qual a vítima também negou ter realizado.

 

Acreditando que seu esposo teve seu cartão furtado pelos dois indivíduos, a esposa da vítima foi até a loja, onde recebeu a informação que realmente o cartão foi passado lá, na compra de um aparelho celular.

 

A funcionária da loja ainda disse que haviam câmeras no local que provavelmente filmaram quem teria utilizado o cartão para a compra. A vítima já fez o bloqueio do cartão, bem como já contestou as compras, de acordo com a ocorrência.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta