Compartilhe

A Justiça da Comarca de Palmital revogou na terça-feira (01/02) a prisão preventiva que havia sido decretada contra o motorista de um caminhão que transportava uma câmara fria recheada de maconha pela Raposo Tavares.

O flagrante ocorreu em 20 de janeiro durante fiscalização da Polícia Rodoviária na praça do pedágio, no quilômetro 413 da Raposo Tavares. No fundo falso de uma câmara fria estavam escondidos 70 tijolos de maconha, que pesaram 38,04 quilos.

A defesa caminhoneiro apresentou à Justiça o pedido de liberdade alegando que trabalha no ramo há mais de 30 anos, além de ser réu primário, ter residência fixa, possuir família (tem um filho de sete anos portador de Síndrome de Down e mulher em tratamento de câncer) e não ter conduta desabonadora.

O motorista alegou inocência, afirmando que havia sido contratado para o serviço por meio de uma transportadora e que não sabia da existência da droga na carga pertencente a pessoa desconhecida. O Ministério Público se manifestou contra o pedido, considerando que as provas devem ser mais bem analisadas durante a instrução do processo.

Contudo, a juíza Lucillana Lua Roos de Oliveira concedeu a liberdade ao considerar, com base na documentação apresentada, que o motorista prestava serviço a uma empresa que havia sido contratada por uma mulher, que não foi localizada depois da apreensão da droga.

Confira mais detalhes na versão impressa do JC

Compartilhe

Deixe um comentário