Ladrões furtam placas de metal em túmulos no Cemitério de Palmital
Compartilhe

Grande quantidade de sepulturas foi atacada pelos ladrões; Prefeitura prestou queixa à Polícia Civil, que deverá apurar a autoria dos furtos

 

Polícia JJC
Furtos foram constatados por trabalhadores contratados para limpeza dos túmulos

 

Nem os mortos estão livres da criminalidade em Palmital. Esta semana, cerca de 100 adereços metálicos que ornamentavam túmulos do Cemitério Municipal foram levados por ladrões. As placas, letras, molduras e imagens foram subtraídas dos jazigos e levadas por criminosos em áreas da necrópole com fácil acesso por ruas laterais. O caso foi denunciado pela Prefeitura na manhã de ontem à Polícia Civil, que deverá apurar as circunstâncias dos fatos e identificar os autores.

A reportagem do JC apurou que os furtos foram constatados durante esta semana por trabalhadores contratados por famílias para fazer a limpeza e manutenção dos túmulos na necrópole. Os profissionais passaram a perceber o desaparecimento dos materiais na terça-feira, acreditando que os furtos ocorreram no período noturno, inclusive durante o final de semana, pois não perceberam qualquer movimentação estranha no cemitério durante o dia.

Os túmulos atacados tiveram placas, letras, imagens e molduras metálicas retiradas. Os objetos levados, geralmente de bronze e latão, estavam fixados com parafusos ou silicone, possibilitando que fossem sacados com uma chave de fenda ou até mesmo com as mãos. Os furtos, conforme constatação da reportagem do JC, ocorreram em regiões do cemitério que estão distantes da entrada principal e oferecem fácil acesso para invasões pelos muros laterais e dos fundos, com pouco mais de dois metros de altura.

A área com maior quantidade de sepulturas furtadas está nos fundos do cemitério, onde há apenas um muro que faz divisa com a Rua Carlos A. Camacho, nas proximidades do laticínio Palmilat. Os túmulos nas proximidades do Cruzeiro também foram atacados, assim como os da lateral da necrópole, próximos à Rua José Camacho, que leva ao Distrito Industrial II e onde existe um portão de metal.

Além de prejudicar a identificação das sepulturas, os furtos representam prejuízos para as famílias dos mortos, que terão de repor as placas, letras e imagens subtraídas para restituir o padrão e a estética dos jazigos. O diretor de Obras e Serviços Urbanos, Paulo Tanno, esteve na manhã de ontem no Cemitério Municipal para constatar o fato e fazer o registro fotográfico da ação criminosa, possibilitando a elaboração de levantamento preciso da quantidade de sepulturas atacadas.

Segundo ele, o controle sobre a entrada clandestina no Cemitério é muito difícil, pois a área faz divisa com várias ruas e, à noite, não existe movimento de pessoas naquela região da cidade. “A localização do cemitério e a redução do movimento noturno facilita a ação de vândalos e ladrões”, salientou o diretor, lamentando o prejuízo e a tristeza causada aos familiares que tiveram os túmulos vilipendiados.   

Compartilhe

Este post tem um comentário

  1. Edilene

    Peço que revejam a notícia com muito cuidado. Abaixo da foto diz que túmulos foram roubados por trabalhadores que fazem a limpeza dos túmulos. E na íntegra da notícia diz que o roubo foi CONSTATADO pelos funcionários contratados para a limpeza dos túmulos. TEM MUITA GENTE HONESTA TRABALHANDO NO CEMITÉRIO. OBRIGADA.

Deixe uma resposta