Lixo jogado por frequentadores no Centro Cultural repercute em redes sociais
Compartilhe

O lixo resultante da concentração de jovens na madrugada de domingo (12/01) no Centro Cultural de Palmital repercutiu nas redes sociais durante o início desta semana. Fotos feitas por uma moradora do Jardim das Flores mostraram grande quantidade de materiais jogados no local. As garrafas de bebidas alcoólicas, principalmente de destilados, latas e copos descartáveis no chão geraram comentários de internautas que questionaram a consciência dos usuários da praça e provocaram debate sobre a importância da orientação para que os jovens, mesmo em reuniões de diversão, atentem para o descarte correto dos resíduos.

 

As imagens do lixo na praça Liliana Bergamaschi, entre a concha acústica e o Centro Cultural, foram publicadas no Facebook por uma moradora do bairro. “Mede-se o grau de civilização de uma população pelo lixo gerado, estouraríamos a escala se medíssemos o lixo esparramado”, foi a frase utilizada para acompanhar as fotos que mostraram a sujeira deixada pelos “visitantes” da madrugada anterior. A postagem, até a manhã desta terça-feira (14/01), teve cerca de 80 compartilhamentos e aproximadamente 140 comentários.

A autora também publicou fotos mostrando que a praça conta com tambores para deposição dos materiais descartáveis, que são ignorados pelos frequentadores do local. A concentração de jovens no Centro Cultural e no canteiro central da avenida Oriente, onde há bancos e mesas, ocorre há vários anos e é alvo de reclamações de diversos moradores do Jardim das Flores, principalmente pelo barulho de veículos e de som automotivo verificado durante a madrugada.

 

A Prefeitura informou que mantém um funcionário para fazer o rastelamento da grama para a retirada de folhas e do lixo da praça diariamente, inclusive aos sábados e domingos. O município também mantém tambores para a que os visitantes possam jogar o lixo. Outro problema, segundo a administração municipal seria o “mau comportamento” de alguns frequentadores do local que chegam a urinar no chão e até defecar nas dependências do Centro Cultural.

 

O secretário de Agricultura e Meio Ambiente Pedro Kirnew destacou que o perfil dos frequentadores do Centro Cultural durante as madrugadas é de jovens de classe média. “Geralmente, são estudantes que já participaram de alguma atividade de educação ambiental. Não podemos dizer que são pessoas que desconhecem a importância de se evitar o descarte inadequado do lixo, incluindo deixando materiais em praças e ruas”, ressaltou.

Compartilhe

Este post tem um comentário

  1. Anônimo

    Vlw por nem ter citado a minha postagem crítica!

Deixe uma resposta