• Post category:Colunistas
Compartilhe

RECORDE. A produção estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para o primeiro levantamento da safra 2018/19 indica volume entre 233,6 e 238,5 milhões de toneladas, com variação entre 2,5% e 4,7% a mais do que a safra passada. Isso significa que a produção nacional poderá aumentar entre 5,6 e 10,6 milhões de toneladas. Os números estão no 1º levantamento da safra de grãos, divulgado no dia (11), pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e pelo presidente da Conab, Marcelo Bezerra.

SUPERÁVITE. Em setembro, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 8,17 bilhões. O saldo da balança comercial foi superavitário em US$ 7,1 bilhões. O agronegócio foi responsável por 42,9% das exportações totais do Brasil, que somaram US$ 19,06 bilhões no mês. As vendas da soja em grãos alcançaram US$ 1,83 bilhão e foram recordes para setembro em quantidade, somando 4,61 milhões de toneladas. O produto representou 76,2% do total exportado pelo complexo soja no período.

COOPERAÇÃO. A aplicação técnica da fotônica na agricultura, que permite realizar análises de solos de forma rápida, limpa e economicamente acessível ao produtor, é uma das linhas de pesquisa que podem ampliar e fortalecer a cooperação científica entre a Embrapa e o Serviço de Pesquisa Agrícola (ARS) do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

CENOURA. Com as sobras registradas na última semana de setembro, a disponibilidade de cenouras “sujas” no mercado se elevou de 1º a 5 de outubro, cenário que baixou os preços em São Gotardo (MG). Além disso, a produtividade está bastante elevada nesta região. O rendimento das variedades de inverno alcançou média de 101 t/ha, segundo colaboradores do Cepea. A qualidade também é satisfatória, e há maior incidência de cenouras do tipo “AAA” – padrão de mercado.

ALFACE. Na semana (08 a 12/10), a alface americana se valorizou na Ceagesp. Com as fortes chuvas ocasionadas em São Paulo, grande parte dos pés foram afetados, resultando na diminuição da oferta. Segundo atacadistas, além da menor oferta, a qualidade também foi reduzida – muitos pés apresentavam mela. A americana subiu 19,08% frente à semana anterior, sendo vendida por R$ 14,55/cx com 18 unidades.

TOMATE.
Também de (08 a 11/10), o tomate salada longa vida 3A se valorizou 28% no atacado do Rio de Janeiro (RJ), fechando a R$ 67,35/cx de 20 kg. Também com expressivo aumento (26%), em São Paulo (SP) e em Belo Horizonte (MG), o produto foi comercializado a R$ 71,56/cx e a R$ 63,57/cx, respectivamente. Na Ceasa de Campinas (SP), o tomate foi vendido a R$ 58,75/cx, com alta de 16,44%. Devido às chuvas, há muitos tomates manchados e menor disponibilidade de frutos de boa qualidade.

Compartilhe

Deixe uma resposta