Menino de 4 anos engole moeda e pode precisar de cirurgia para retirá-la em Ourinhos
Compartilhe

Um menino de 4 anos engoliu uma moeda e o objeto está parado em seu estômago há mais de uma semana. O caso aconteceu no bairro Helena Braz Vendramini, em Ourinhos e deixa o alerta para que os pais de crianças redobrarem os cuidados com os seus pequenos.

 

O Passando a Régua conversou com a mãe da criança que contou que deu uma moeda de R$ 0,25 centavos para o filho, que iria com primo ao mercado, mas que sempre o alertou para ele não colocar o objeto na boca, porém só descobriu que o menino havia engolido a moeda quando o filho começou a se queixar de dores.

 

“Ele (o filho) começou a falar que estava com uma dor no coração e então eu perguntei o que tinha acontecido e ai ele contou que teria engolido a moeda e então o levamos à UPA (Unidade de Pronto Atendimento de Ourinhos) e fizemos o exame de raio X e vimos que a moeda estava em sua barriga”, contou a mãe.

 

O garoto engoliu a moeda no dia 9 (domingo), mas o objeto não se moveu para o intestino e se isso persistir, o menino poderá ter que passar por um procedimento cirúrgico para retirar a moeda.

 

“A médica que atendeu ele na UPA nos disse que precisa esperar até 15 dias, se a moeda não sair terá que ser retirada”, contou a mãe, que está levando o menino à UPA com frequência para fazer o acompanhamento do caso.

 

O QUE DIZEM OS MÉDICOS SOBRE ISSO

Em geral, 99% dos casos de crianças que sofrem a ingestão da moeda, elas eliminam esse corpo estranho em até uma semana. Portanto, não há maiores problemas de as moedas ficarem ali até poder ter um procedimento para poder retirar as mesmas.

 

Toda vez que uma criança engole um corpo estranho ela deve passar por atendimento médico para ser feito um exame de raio-X.

 

A moeda é redonda e não tem material tóxico para o organismo.

 

A ingestão de corpos estranhos é muito comum na emergência pediátrica.  Sendo assim, algumas informações sobre como maneja-la devem ser de conhecimento da equipe técnica.

 

A retirada de baterias, pilhas e ímas deve ser feita via endoscópica em menos de 24h.

 

Em crianças com mais de 2 anos, objetos com menos de 2 cm podem ser retirados ambulatorialmente do estômago através de endoscopia, que pode ser feita em até 4 semanas, período em que o objeto ainda pode ser expulso seguindo o trajeto gastrointestinal. Após passar pelo piloro, o objeto pode ser acompanhado com radiografias constates (diárias, por exemplo), em um serviço ambulatorial até que seja eliminado.

 

Em caso de objetos maiores que 2 cm, a retirada será endoscópica, pois dificilmente atravessará o piloro e, por isso. a endoscopia pode ser feita logo.

Fonte: Passando a Régua

Compartilhe

Deixe uma resposta