Mulher registra queixa contra petshop por morte de cachorra de estimação em atropelamento
Mulher registra queixa contra petshop por morte de cachorra de estimação em atropelamento — Foto: Arquivo Pessoal
Compartilhe

Marrie, da raça shih-tzu, foi atropelada e morreu depois de escapar do petshop que estava hospedada enquanto os donos viajavam; proprietários informaram que lamentam o ocorrido.

Uma moradora de Sorocaba (SP) registrou um boletim de ocorrência após a cachorra de estimação, da raça shih-tzu, morrer atropelada depois de escapar de um petshop onde estava hospedada, no bairro Jardim Refúgio.

Segundo Solange Bilski, dona da cadela Marrie, a cachorra teria escapado pelo portão e acabou sendo atropelada. O animal foi socorrido por um comerciante de uma loja próxima.

A tutora também informou que Marrie frequentava o local havia aproximadamente um mês para fazer banho e tosa. Ela explicou que tinha uma viagem marcada e por isso perguntou à proprietária se seria possível um serviço de hospedagem.

“Quando eu disse que ia viajar, perguntei de ela prestava serviço de hospedagem e ela me disse que sim. Levei a minha [cachorra] e a da minha filha. A minha era a Marrie, uma shih-tzu, e a da minha filha é a Cleo, uma Lhasa Apso”, contou.

Animal foi socorrido por um comerciante de uma loja próxima ao pet shop, mas não resistiu e morreu — Foto: Arquivo Pessoal
Animal foi socorrido por um comerciante de uma loja próxima ao pet shop, mas não resistiu e morreu — Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com Solange, após o ocorrido, um dos proprietários do petshop teria telefonado para ela explicando o que havia acontecido.

“Me ligaram e me disseram que ela escapou. Pedi, então, que fossem atrás dela e ele disse que ela escapou, foi atropelada e morreu”.

“Eles foram negligentes, pois eu avisei que ela poderia fugir, me disseram que não faziam este tipo de serviço, que foi apenas um favor. Sendo que a hospedagem foi cobrada”, explicou.

A cadela foi socorrida e encaminhada a um hospital veterinário mas, ao chegar no local, já estava morta, segundo contou Solange.

Os responsáveis do petshop, que preferiram não se identificar, disseram que prestaram socorro ao animal e que o serviço não foi cobrado. Informaram, ainda, que estão bastante abalados com o acontecido e que tudo teria sido um acidente.

“Nos comprometemos a olhar a cachorrinha, mas não prestamos esse serviço. Foi um favor que fizemos e isso não foi cobrado. Em determinado momento, soltamos as duas cachorras pra fazer xixi no quintal, e a Marrie deu um jeito de escapar pelo portão”, informou o proprietário do local, por telefone.

Os tutores de Marrie disseram que pretendem processar o petshop e que estão bastante tristes com o que aconteceu.

“Ela foi um presente de aniversário, eu tinha o maior amor por ela, não acho justo uma vida se perder assim”, disse Solange.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta