Noivos de 100 e 96 anos celebram casamento por “Amor puro”
Compartilhe

Um casal de 100 e 96 anos celebrou o casamento em uma casa de repouso de Campinas (SP), no sábado (29/02). Branca e Marcelino decidiram oficializar a união após o centenário do engenheiro aposentado, em uma celebração que contou com a presença de amigos e familiares. “Amor puro”, resumiu a filha do noivo.

 

O casal conta que o relacionamento teve início há aproximadamente dois anos, quando Marcelino passou uma temporada na casa onde Branca vive e, ao conhecê-la, quis ficar. O pedido de namoro, no entanto, só se concretizou há cerca de um ano.

 

Segundo a estilista Branca, hoje com 96 anos, não faltam razões para se apaixonar pelo noivo. Romântica nata, que gosta de decorar seu quarto na casa de repouso com pelúcias e bonecas de pano, ela relata o encantamento. “[Gosto de] tudo! Tudo! […] Ele é um amor, ele é um doce”, diz.

 

O português Marcelino, que ganhou o título de cidadão campineiro pelos trabalhos prestados na engenharia, completou 100 anos ao lado da noiva. Celebrar um século de vida fez com que os namorados decidissem dar o próximo passo na relação.

 

Apesar da voz fragilizada por conta de uma gripe, Marcelino mostra lucidez e relata que, graças ao novo relacionamento, se sente mais jovem, com 40 anos. A sensação de jovialidade também mudou o dia-a-dia da estilista. “[Me sinto] novinha novinha, gostosa, bem chuchuzinha, sabe?”, conta, entre risos.

 

Segundo a cuidadora Monize Faria Cecílio, que acompanha a trajetória dos noivos há dois anos, sempre houve uma relação de amizade muito forte entre o casal. Com o tempo, os idosos passaram a ficar cada vez mais próximos.

 

“Ela sai do quarto dela […] ela passa no quarto dele e vai conversar com ele, vai dar bom dia, e dá beijinho, sabe? Todo aquele cuidado. Se ele está descoberto, ela vai e cobre ele, ajeita o travesseiro dele. Sempre cuidando dele”, conta Monize.

 

BEIJOS E BEIJOS
Os dois viúvos exibem demonstrações de romantismo constantes. Entre incontáveis beijos, mãos entrelaçadas e carinhos, a relação de Branca e Marcelino se fortaleceu dentro da casa de repouso.

 

Segundo Andreia Garcia Jagucheski, proprietária da casa, o relacionamento trouxe reflexos positivos para todos os moradores. “Não é porque eles estão numa casa de repouso que é o fim. É o começo. Aqui eles sentem amor um pelo outro […] eles sempre estão interagindo um com o outro, sempre juntos.”

CERIMÔNIA
Branca diz que, antes do casamento, a ansiedade era grande. “Eu tinha até medo, falava ‘ai meu Deus, e se ele desiste?’ […] e ele pensava a mesma coisa! Depois, no fim, os dois falaram ao mesmo tempo: pensei que você fosse desistir de mim”. Sem desistências, era hora de seguir com a cerimônia.

 

A casa onde o casal se conheceu se transformou em um salão de festas decorado especialmente para a união. Bolo com noivinhos idosos, itens de decoração, alianças e um dia da noiva para Branca garantiram que a celebração seguisse as tradições. A presença das filhas emocionou os convidados.

 

“Todo esse amor envolvido, o amor desinteressado, um amor puro né. E é muito carinho. Tudo isso acho que é muito emocionante, é muito verdadeiro, é muito puro”, diz Marilinda Ribeiro dos Santos, filha de Marcelino.
Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta