Compartilhe

Ação entre Polícia Ambiental e Ministério Público, com apoio da empresa CTG Brasil, inicia hoje no reservatório da Usina Canoas II

Uma ação conjunta entre a Polícia Militar Ambiental e Ministério Público, com o apoio da CTG Brasil, que se inicia nesta quarta-feira (27/04), buscará identificar, retirar estruturas ilegais na Área de Preservação Permanente (APP) e desmobilizar novas construções irregulares no reservatório da Usina Canoas II, em Palmital (SP), em mais uma etapa da operação “Canoas 2”, no rio Paranapanema.

Esta será a terceira operação realizada desde março na região. Nas duas primeiras, a força-tarefa promoveu a retirada de 14 construções irregulares em áreas de preservação ambiental. A ação desta quarta-feira envolve cerca de dez funcionários, além de barco, caminhão basculante e maquinários como retroescavadeira e caminhão prancha para transporte da retroescavadeira. Em complemento ao trabalho de desmobilização, a operação inclui notificação dos proprietários de imóveis em situação irregular.

Foto: Divulgação CTG Brasil

“Essas construções irregulares, além de estarem em APP, fomentam a pesca predatória e a caça e podem gerar um desequilíbrio ambiental. Ações como essa, em parceria com a Polícia Ambiental e o Ministério Público, reforçam a preocupação da empresa com o meio ambiente”, afirma Ivan Toyama, gerente de Fundiário da CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa e responsável pela operação da Usina Canoas II.

Foto: Divulgação CTG Brasil

 “O foco desta operação se concentra no município de Palmital, mas é necessário que a população dos demais municípios dos reservatórios de Canoas I e Canoas II entendam a importância da preservação das matas ciliares e a conservação dos recursos naturais. No estado de São Paulo, além de Palmital, fazem parte os municípios de Candido Mota, Ibirarema e Salto Grande, e no estado do Paraná, os municípios de Andirá, Cambará e Itambaracá”, complementa Toyama.

A fim de preservar o meio ambiente e visando garantir o uso múltiplo de seus reservatórios, a CTG Brasil, segundo Toyama, mantém ainda o programa “Espaço Legal”, um guia cujo principal objetivo é orientar comunidades do entorno dos reservatórios sobre a ocupação regular e o uso correto dessas áreas. O guia está disponível para download no endereço https://www.ctgbr.com.br/wp-content/uploads/2019/04/Espac%CC%A7o-Legal-13ag2018.pdf.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CTB Brasil

Compartilhe

Deixe um comentário