Palmital ultrapassa os 200 casos confirmados de dengue e tem 755 notificações para a doença

A Secretaria de Saúde da Prefeitura divulgou na manhã desta sexta-feira (14/02) os novos dados sobre a epidemia de dengue em Palmital. A atualização da situação no município, que está em estado de alerta no setor de saúde pública, indica que o número de notificações chegou a 755 no período de 1º a 14 de janeiro. Os resultados laboratoriais realizados pelo Instituto Adolf Lutz de Marília, cujos laudos foram recebidos pela administração municipal, confirmaram 210 casos de pessoas vitimadas pela doença e 70 negativos.

 

Devido ao grande número de notificações, que demandou a mobilização da administração municipal desde janeiro para a intensificação dos trabalhos de combate ao Aedes aegypti, ainda há pacientes que aguardam para fazer os exames de sangue solicitados pela Secretaria de Saúde ou aguardam os laudos da sorologia para confirmar ou descartar a doença. Os dados são processados pelo setor de Vigilância Epidemiológica (VE) da Secretaria de Saúde.

 

As notificações para investigação da doença são de pacientes atendidos em todas as unidades básicas, principalmente na região do São José, e no Pronto-Socorro. Desde que os casos começaram a aumentar no início do ano, as equipes de Controle de Endemias e os agentes comunitários do programa Estratégia Saúde da Família (ESF) estão empenhados no bloqueio a criadouros e na orientação da população para manter residências, quintais, terrenos e outros imóveis livres de focos do mosquito transmissor.

 

As equipes visitam domicílios para orientação da população, pedindo a colaboração para evitar os focos do mosquito, e fazem a remoção de criadouros. O grupo de Controle de Endemias também está promovendo a nebulização com inseticida para combater o mosquito adulto, visando reduzir a transmissão. O trabalho já foi concluído nos bairros Afonso Negrão e Jardim Paulista, além dos conjuntos habitacionais Waldyr Faro e Albino Rainho.

 

Nesta sexta-feira (14/02), os serviços continuam em uma área do bairro São José, cobrindo o perímetro entre as ruas Uruguai, São Paulo, Estados Unidos e Joaquim Amâncio Ferreira. Há a previsão de que os trabalhos sigam na próxima semana para a região do conjunto habitacional Miguel Huertas. “Porém, recebemos do governo federal, por meio da Sucen de Marília, apenas 40 litros de inseticida, que não serão suficientes para atender todas as regiões afetadas”, alertou a enfermeira Lucéia Sartori, coordenadora da VE.

 

Segundo Lucéia, a maneira mais eficaz de conter o avanço da doença é fazer o combate aos criadouros do Aedes aegypti. “A melhor forma de evitar a dengue é evitar que o mosquito se reproduza e possa se desenvolver em locais com água parada. Então, é importante que todos cuidem das casas e dos quintais para combater a doença”, explicou. Ela informou ainda que a Prefeitura deverá contratar profissionais para reforçar o trabalho e fazer a limpeza de terrenos na cidade.

 

DADOS – O trabalho de combate ao mosquito transmissor e de orientação à população tem o objetivo de evitar uma situação mais grave que a de 2015, quando mais de 600 pessoas foram infectadas pela dengue em Palmital. O volume de ocorrências registrado durante os primeiros 40 dias de 2020 é muito superior às estatísticas da doença apuradas no ano passado. Segundo a Secretaria de Saúde, houve 277 notificações e 80 casos confirmados em 2019.

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia