Polícia esclarece sumiço de adolescente e prende suspeito
Foto Ilustrativa
Compartilhe

Rapaz foi preso por mentir que não havia passado a noite com a menor, de 14 anos; ela foi encontrada na casa de familiares, no Paraná

 

A equipe da Polícia Civil se mobilizou na semana passada e conseguiu esclarecer o caso do desaparecimento de uma adolescente em Palmital. A menor, de 14 anos, teria saído de sua casa, na região central da cidade, pouco depois das 18 horas da quarta-feira para dar uma volta de bicicleta e não havia retornado durante a noite. A mãe foi até a unidade policial na manhã de quinta-feira, desencadeando um trabalho de investigação comandado pelo delegado Giovani Bertinatti.

Inicialmente, os policiais buscaram informações sobre os últimos locais em que a adolescente havia estado. Testemunhas apontaram um servente de pedreiro, de 25 anos, que teria sido a última pessoa vista com a jovem. O rapaz foi levado à Delegacia de Palmital, onde foi formalmente ouvido e disse que nunca tinha conversado com a menor, além de afirmar que havia pernoitado na casa de uma prima. Porém, a partir de informações da prima apontada pelo suspeito, os policiais descobriram que ele havia mentido e também pedido para que a moça confirmasse sua versão.

O rapaz foi novamente levado à Delegacia de Palmital e, depois de contraditado, confessou a mentira e afirmou ter passado a noite com a adolescente, mas disse que não sabia onde ela estava. Diante do depoimento, Giovani Bertinatti decretou a prisão em flagrante do rapaz pelo crime de falso testemunho e possível prática de outros crimes graves tais como sequestro e cárcere privado.

Já na noite de quinta-feira, depois de várias horas de trabalho e mobilização da equipe em diligências, os policiais fizeram contato com policiais do Paraná e tiveram a informação que ela havia fugido para a casa de familiares no Estado vizinho, inclusive afirmando que foi aliciada pelo servente e que fugiu por medo do rapaz.

O servente foi levado para a Cadeia Pública de Lutécia, onde permanece à disposição da Justiça. Devido à gravidade do crime, a prisão preventiva solicitada pelo delegado foi decretada em audiência de custódia realizada na sexta-feira, no Fórum de Palmital.

Compartilhe

Deixe uma resposta