Polícia prende suspeitos de matar homem encontrado com ferimentos na cabeça em chácara
Compartilhe

Companheira da vítima e homem com quem ela mantinha relacionamento amoroso foram presos no sábado (24). Filha da mulher também foi detida temporariamente.

A Polícia Civil prendeu no sábado (24) três pessoas suspeitas de envolvimento em um homicídio ocorrido há dois meses em Reginópolis (SP). No dia 9 de agosto, um homem de 43 anos foi encontrado morto com graves ferimentos na cabeça em sua chácara, na área rural da cidade.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na época, Cláudio Fernandes de Oliveira foi localizado pela companheira e pela filha dela caído no chão do quarto dele.

Segundo a polícia, havia sangue ao redor da cabeça da vítima e o cômodo estava desarrumado, com gavetas reviradas e roupas pelo chão.

O delegado responsável pelo caso, Roberval Antônio Fabbro, informou que a polícia colheu depoimentos das testemunhas. No entanto, a companheira de Cláudio, de 46 anos, apresentou versões contraditórias sobre onde estava entre a noite do dia 8 e a manhã do dia 9 de agosto. As histórias também foram derrubadas após análise de câmeras de segurança.

“Com base nisso, solicitamos autorização judicial para interceptação telefônica e conseguimos apurar que, nos dias que antecederam o homicídio, ela mantinha frequentes contatos com um telefone de São Paulo e identificamos que o aparelho estava registrado no nome de um indivíduo que nasceu na mesma cidade que ela, no nordeste”, conta Fabbro.

Na sequência, de acordo com o delegado, a polícia descobriu que um dos suspeitos, de 41 anos, mantinha um relacionamento amoroso com a companheira de Cláudio e que ele esteve em Reginópolis na noite do crime.

Segundo Fabbro, um motorista de aplicativo prestou depoimento e relatou ter levado o casal da rodoviária até a chácara onde a vítima foi morta.

Prisão

Ainda de acordo com a polícia, as equipes descobriram que o suspeito estaria em Lins no sábado (24) para se encontrar com a mulher e, em uma operação conjunta das polícias Civil de Lins e Reginópolis, foram cumpridos os mandados de prisão temporária contra os dois suspeitos.

O delegado informou que o homem de 41 anos confessou o homicídio, alegando legítima defesa, e apontou o local onde havia escondido a chave de grifo utilizada para matar Cláudio com pancadas na cabeça.

A arma foi apreendida pela polícia em uma rotatória da Rodovia Hilário Spuri Jorge, próxima à chácara em Reginópolis.

Chave de grifo utilizada para matar homem em Reginópolis foi apreendida pela polícia — Foto: Divulgação/Polícia Civil
Chave de grifo utilizada para matar homem em Reginópolis foi apreendida pela polícia

Segundo a polícia, a filha da suspeita e enteada da vítima, de 23 anos, também foi presa temporariamente no sábado com o objetivo de fortalecer as investigações, já que as suspeitas negam participação dela no crime.

Conforme informou o delegado, a polícia trabalha com a hipótese de que os suspeitos tinham interesse no patrimônio de Cláudio, que possuía a chácara, um carro e três casas de aluguel. Segundo a polícia, o suspeito tinha planos de ir morar com a companheira em Reginópolis.

“A filha foi presa temporariamente também, porque nos leva a pensar que ela tinha conhecimento do crime e que seria beneficiada por esse patrimônio”, explica o delegado.

Fabbro informou que, a partir de agora, as investigações continuam e que serão feitos exames de DNA com as amostras biológicas colhidas na vítima no dia do crime para pedir a prisão preventiva dos suspeitos, que foram levados a cadeias da região.

FONTE: G1

Compartilhe