Tem coisas na vida que não precisam ser ditas; elas se mostram; estão à mostra; estão claras para quem quiser ver. Mas, infelizmente, não são todos que conseguem ver as revelações da vida. E, por que não vêem? Por que as pessoas não conseguem ver as manifestações da vida; as revelações da vida? Porque o mundo está sofrendo de uma grande cegueira e não se dá conta. O mundo está cego! As pessoas estão cegas no mundo e com o mundo!

Por que o mundo está cego? Por que as pessoas estão cegas?

O mundo está cego porque não consegue dar a razão de sua esperança. O mundo vive das ilusões e para as ilusões. As pessoas vivem das ilusões e para as ilusões; por isso estão cegas.

E você? Tem esperança? Qual é a sua esperança? O que alimenta a sua esperança? Qual é a razão de sua esperança?

Vamos dizer que sua resposta, sobre a esperança, seja afirmativa e você diz: ‘eu tenho esperança!’ Tudo bem! É importante que você afirme que tem esperança e, se, ainda, não a tem, esteja buscando. Mas, eu gostaria de pôr em dúvida a sua esperança porque, como muitas pessoas, você pode estar enganado pelo mundo, vivendo uma esperança que é como ‘como palha arrebatada pelo vento, como leve espuma que a tempestade levanta. Esperança que se desfaz como fumaça espalhada pelo vento; fugaz como a lembrança do hóspede que fica um dia só’ (Sb 5,14).

A vida em movimento nos coloca em dúvida a respeito de tudo e nos põe diante de uma enorme encruzilhada a respeito da esperança. Então, tentados pelo imediatismo, embarcamos em qualquer alternativa de esperança.

Talvez você nem perceba e nem veja, mas você está enganado sobre a esperança, sobre o que esperar, como esperar e por que esperar. Por isso, eu convido você a dar novas razões para a sua esperança.

“Em primeiro lugar, vocês devem saber que nos últimos dias aparecerão pessoas que zombarão de tudo e se comportarão ao sabor de seus próprios desejos. E dirão: ‘Não deu em nada a promessa de sua vinda? De fato, desde que os pais morreram, tudo continua como desde o princípio da criação!’ No entanto, eles fingem não perceber que no começo existiam os céus e a terra, e que a terra foi tirada da água e firmada no meio da água pela Palavra de Deus…

Há, porém, uma coisa que vocês, amados, não deveriam esquecer: para o Senhor, um dia é como mil anos e mil anos são como um dia. O Senhor não demora para cumprir o que prometeu, como alguns pensam, achando que há demora; é que Deus tem paciência com vocês, porque não quer que ninguém se perca, mas que todos cheguem a se converter.

O Dia do Senhor chegará como um ladrão, e então os céus se dissolverão com estrondo, os elementos se derreterão, devorados pelas chamas, e a terra desaparecerá com tudo o que nela se faz. Em vista dessa desintegração universal, qual não deve ser a santidade de vida e piedade de vocês, enquanto esperam e apressam a vinda do Dia de Deus? Nesse dia, ardendo em chamas, os céus se dissolverão, e os elementos se fundirão consumidos pelo fogo.

O que nós esperamos, conforme a promessa dele, são novos céus e nova terra, onde habitará a justiça. Por isso, queridos irmãos, durante este tempo de espera, esforcem-se para que Deus os encontre sem mancha e sem culpa, vivendo em paz. Considerem que a paciência de Deus para conosco tem em vista a nossa salvação Assim, queridos irmãos, avisados como estão, tomem cuidado para que esses ímpios não os enganem, arrastando-os para que vocês percam a firmeza e caiam. Cresçam na graça e no conhecimento de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. A ele pertence a glória, desde agora e até o dia da eternidade. Amém!” (2Pd 3,3,18).

Pense bem, a esperança é a base e fundamento de sua vida: não espere qualquer coisa para a sua vida e não dê qualquer motivo para a sua esperança.

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia