Saae orienta para uso racional da água em Palmital
Compartilhe

Autarquia registrou redução de 15% na produção de minas e poços artesianos devido à falta de chuvas; diretor destacou importância de poupar recursos hídricos

 

As altas temperaturas e o clima extremamente seco que perduraram até esta semana, causando transtornos para a população, são motivo de preocupação para o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Palmital. Diante da situação de deficiência hídrica, a autarquia da Prefeitura está desenvolvendo ações para reduzir riscos de eventuais problemas em horários de pico e pede que a população colabore com o uso racional da água por conta do aumento na demanda e da queda na produção verificada nos últimos dias.

De acordo com o Saae, houve uma redução de aproximadamente 15% no volume de água captada em 22 poços artesianos e em minas no Horto Florestal Municipal – todo o sistema possibilita a captação diária de 7 milhões de litros e abastece 10 reservatórios distribuídos por todas as regiões da cidade. Um dos primeiros “sintomas” da queda na produção, segundo a autarquia, é a redução da pressão em pontos da rede de distribuição durante alguns períodos do dia em que há maior consumo.

José Pereira da Silva, diretor do Saae, explicou que o problema está diretamente ligado à redução no nível dos reservatórios devido ao aumento na demanda e ao desligamento de dispositivos de pressurização da rede, que só são ativados em horários de pico. “Estamos com falta de chuvas desde maio. Com altas temperaturas e baixíssima umidade do ar, há um aumento no consumo, pois muitas pessoas usam mais água ao aumentar a frequência da limpeza de casas e quintais devido à poeira”, afirmou.

De acordo com Pereira, até o momento não houve mudanças na rotina das unidades de captação para compensar a queda na produção. “As bombas continuam trabalhando de 18 a 20 horas por dia. Em situações mais severas, podem operar por um período maior para compensar a queda na vazão”, ressaltou. “Porém, quando o nível do lençol freático está muito baixo, temos de reduzir o tempo de produção para evitar o completo esgotamento da fonte”, ponderou.

Pereira pediu que população compreenda a necessidade de racionalização do uso dos recursos hídricos e colabore para evitar o desperdício e o uso indiscriminado da água para que todos tenham a garantia do serviço em Palmital. “Nos dias de hoje, a economia de água é uma necessidade universal para toda a sociedade, que tem de ter a inteligência de preservar este recurso para o futuro”, finalizou.

Compartilhe

Deixe uma resposta