Saiba os cuidados com peixes Betta em aquários
Especialistas orientam sobre práticas do aquarismo e cuidados com peixes Betta
Compartilhe

Veterinária e responsável por loja especializada em aquarismo de Sorocaba (SP) trazem recomendações para quem pretende ter um peixinho de estimação.

Quantas vezes já não vimos peixinhos serem doados como brindes em lojas ou, até mesmo, como prêmios em alguns jogos e brincadeiras? No entanto, essa prática pode ser prejudicial caso o novo dono não tome os devidos cuidados com o animal.

Pensando nisso, o G1 conversou com uma veterinária que é consultora técnica em aquariofilia (prática que consiste em criar peixes em aquários) e com uma loja especializada em aquarismo de Sorocaba (SP) sobre as principais orientações para quem pretende ter um peixe de estimação.

Segundo a veterinária Shyrlei Braith Bertorello, como muitas pessoas não conhecem os cuidados a serem tomados com esses animais, a distribuição gratuita de peixes pode ser perigosa.

“Os animais nunca devem ser dados como brindes, nem tratados como brinquedos. Porém, se existir boa orientação, os peixes podem ser interessantes como ferramenta de educação ambiental. O aquário é um ecossistema perfeito, e podemos ensinar as crianças e adultos sobre biologia, química e física”, explica.

Muitas vezes considerados de fácil cuidado, os peixes Betta estão entre os mais utilizados em doações e brindes. Porém, Shyrlei alerta que o conforto do animal precisa ser prioridade.

Conforme a veterinária, a possibilidade de manter um peixe Betta vivo sem nenhum tipo de oxigenador ou filtro no aquário fez com que as pessoas acreditassem que ele não precisasse de cuidados.

“Eles são a porta de entrada para o mundo do aquarismo, porque realmente são peixes mais resistentes. O peixe Betta possui um órgão que permite que ele respire o oxigênio da atmosfera ao invés do dissolvido na água”, continua.

Criadores de peixes precisam tomar os devidos cuidados com os animais — Foto: Shyrlei Braith Bertorello/Arquivo pessoal
Criadores de peixes precisam tomar os devidos cuidados com os animais

Aquário completo

De acordo com a especialista, o primeiro passo para ter um peixe Betta em casa é providenciar um aquário completo e com condições adequadas.

“Os peixes estão totalmente conectados ao ambiente onde vivem. No caso, o aquário. Não é apenas uma caixa com água. Quando equipado com filtros próprios para aquarismo, eles desenvolvem uma colônia de bactérias benéficas que purificam a água e permitem qualidade de vida aos habitantes.”

Shyrlei explica que os bichinhos podem ficar doentes caso o local seja muito pequeno e o dono não faça as devidas trocas de água. Para manter as condições adequadas, é necessário deixar o pH da água em torno de 7,0, além de utilizar itens como anti-cloro.

“O uso de água da torneira é o mais indicado, com produtos anti-cloro, que também oferecem vitaminas muito importantes para a proteção das mucosas e saúde do peixe. O uso de água mineral e água de poços artesianos é contra-indicado. Filtro, aquecedor, teste de pH e anti-cloro são os itens fundamentais, além de um aquário de no mínimo quatro litros.”

Especialistas dão dicas sobre prática de aquarismo e como manter peixes saudáveis  — Foto: Shyrlei Braith Bertorello/Arquivo pessoal
Especialistas dão dicas sobre prática de aquarismo e como manter peixes saudáveis

Quanto devo gastar?

Conforme Daniel Del Sole, responsável por uma loja especializada em aquarismo, o valor do kit completo que garante qualidade de vida ao peixinho varia entre R$ 35 e R$ 50. Já o peixe Betta custa de R$ 8 a R$ 25.

“Normalmente, os clientes têm muitas dúvidas referentes a oxigenação, se podem conviver com outros peixes e se são agressivos. Os peixes Betta devem viver sozinhos no aquário, pois eles brigam com outros da mesma espécie. Vendemos em media de 60 a 100 deles por mês”, completa.

Shyrlei reforça que, além do aquário completo, é necessário ficar atento à alimentação e à temperatura dos peixinhos de estimação.

“Alimentar em excesso deixa o peixe apático e doente. Aos poucos, ele começa a perder a bela cauda, deixa de comer, pode ter problemas de constipação e vir a morrer. Outro fator importante é a temperatura. Os peixes não conseguem manter a temperatura corporal como nós mamíferos. A variação de temperatura pode deixá-lo enfraquecido a ponto de ele ser atacado por fungos e bactérias oportunistas.”

Segundo a veterinária, um peixe Betta pode viver de três a cinco anos em cativeiro, mas, por não oferecerem condições adequadas, as pessoas conseguem mantê-los apenas por poucos meses.

“O aquarismo é um hobby fascinante e deve ser incentivado, desde que com respeito à vida dos animaizinhos envolvidos”, diz.

FONTE: G1

Compartilhe