Saúde confirma novo caso de dengue e faz nebulização
Compartilhe

Trabalho de eliminação do mosquito atendeu áreas dos bairros Afonso Negrão e Morada do Sol, onde há casos suspeitos de pacientes que estiveram em cidades com epidemia da doença

 

Saúde jc

 

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Palmital confirmou na quinta-feira um novo caso de dengue e realizou atividade de prevenção para conter uma possível transmissão em duas regiões da cidade. O trabalho foi realizado nos bairros Afonso Negrão e Morada do Sol, onde há casos suspeitos de pacientes que estiveram recentemente em cidades que enfrentam epidemias da doença. A ação, realizada pela equipe de Controle de Endemias, foi autorizada pela Sucen e incluiu um trabalho de bloqueio a criadouros do Aedes aegypti, além da aplicação do inseticida em 16 quadras.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de Palmital, houve a notificação de um casal, com seu bebê de um ano, que apresentaram sinais da doença e residem na Rua Santo André. A equipe do ESF I identificou que eles haviam passado 15 dias em Assis, em um bairro que sofre com epidemia da dengue, inclusive com o avô da família estando internado devido à doença.

A nebulização na área foi iniciada na quarta-feira e concluída na quinta-feira, com a cobertura de oito quadras até atingir a região do Jardim Paulista. O objetivo foi combater o mosquito alado, evitando que ele pique os pacientes e possa transmitir a doença a outras pessoas.

Na região do bairro Morada do Sol, nas proximidades da creche Lídio Tronco, onde houve a confirmação de uma paciente com a doença, a nebulização foi concluída ontem e totalizou oito quadras, incluindo área do bairro Vicente Leone. O trabalho foi justificado devido a três moradores da localidade que apresentarem sintomas suspeitos da doença. Também há preocupação sobre um dos pacientes que, conforme o órgão municipal, retornou recentemente de um período de trabalho na região de Bauru, onde se verifica o maior surto da dengue no Estado.

De acordo com a enfermeira Lucéia Sartori, coordenadora da Vigilância Epidemiológica, o trabalho de nebulização começou antes mesmo da confirmação do caso com o objetivo de bloquear uma eventual transmissão da doença na cidade, pois os pacientes suspeitos estiveram em áreas de epidemia. “Tudo foi autorizado pela Sucen. Inclusive, a região do Morada do Sol está localizada nas imediações do bairro Paraná, que atualmente registra o maior índice de infestação do mosquito em Palmital”, afirmou.

Ela revelou também que, até a manhã de ontem, já foram feitas 44 notificações para a doença em 2019, das quais apenas duas resultaram positivo no início de janeiro. Também há nove pacientes aguardando resultado e outros que aguarda a coleta de sangue para o exame.

Compartilhe

Deixe uma resposta