• Post category:Polícia
Compartilhe

Acusado estava com porções de maconha e cocaína, além de dinheiro obtido com a atividade ilegal; ele foi encaminhado para a Cadeia Pública de Lutécia

 

A Polícia Militar de Palmital prendeu na tarde de sábado um servente de pedreiro, de 19 anos, por tráfico de drogas no conjunto habitacional Albino Rainho. O acusado foi alvo de denúncia anônima e estava com 41 trouxinhas de maconha e 28 papelotes de cocaína, além de R$ 146,00 em dinheiro obtido na atividade ilegal. Ele foi autuado na Delegacia da Polícia Civil e posteriormente levado à Cadeia Pública de Lutécia, onde ficou à disposição da Justiça.

De acordo com registros policiais, o flagrante ocorreu pouco depois das 13 horas de sábado, quando policiais militares foram até a Rua Antônio Alonso para verificar a denúncia, feita pelo telefone 190, que de que o jovem estaria traficando e escondendo a droga embaixo de um galho de arvore em um terreno. No local, os PMs encontraram o servente e sob a vegetação estavam 20 trouxinhas de maconha, 18 papelotes de cocaína e R$ 46,00 em dinheiro.

Com o auxílio do Canil Setorial de Assis, foram realizadas buscas no terreno e encontradas mais dez porções de cocaína dentro de um pote plástico junto com grãos de arroz, para retirar a umidade, e outras 21 de maconha. No bolso do acusado também estavam R$ 100,00 em espécie, além de grãos de arroz idêntico aos que acompanhavam a cocaína. O servente foi apresentado na Delegacia da Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante por tráfico.

O rapaz não deu declarações durante a lavratura do flagrante, alegando o direito de manifestar-se somente em juízo. A maconha apreendida totalizou 52,2 gramas e a cocaína 9,79 gramas. Em consulta a sistema de dados policiais, foi constatado que ele possuía passagens quanto adolescente por crimes de roubo e desobediência. O acusado foi encaminhado para a Cadeia Pública de Lutécia. No domingo, ele passou por audiência de custódia no Plantão da Justiça da Assis, onde teve a prisão mantida.

Compartilhe

Deixe uma resposta