Tratorista é flagrado com 49,5kg de cocaína
Compartilhe
Um tratorista terceirizado de uma companhia aérea foi preso em flagrante na manhã de ontem, quando transportava 49,5kg de cocaína para uma aeronave que seguiria para Lisboa, em Portugal. O homem foi detido por uma equipe da Vigilância e Repressão da Receita Federal do Brasil, no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas.     
 O funcionário foi detido quando servidores da Receita Federal realizavam fiscalização de rotina do carregamento do voo com destino a Lisboa e notaram que um tratorista seguia para a aeronave levando apenas duas bolsas. “Os agentes perceberam uma movimentação anormal naquele carregamento e quando foi feita a abordagem, observaram que no interior do trator havia duas bolsas contendo substância que reagiu positivamente ao narcoteste para cocaína”, informou o órgão federal.       
 A localização se deu com a ajuda do cão farejador K9, o Black. Segundo a Receita Federal, as malas não pertenciam a passageiros e estavam com etiquetas antigas, usadas em outras viagens. O tratorista trabalha no local há seis anos e estava em horário de expediente quando foi detido. Ele e a droga foram levados para a Polícia Federal, onde foi feita a prisão e a apreensão.
A Receita informou que uma avaliação preliminar indica que a quantidade de droga apreendida poderia render até R$ 10 milhões se chegasse a ser comercializada na Europa. Não foram fornecidos mais detalhes sobre a prisão do suspeito para não prejudicar as investigações. 
Segundo a Receita Federal, só neste ano a equipe de Vigilância e Repressão em Viracopos já apreendeu cerca de 190Kg de cocaína. Esta seria a segunda apreensão deste tipo em 2019. Em fevereiro passado, foram apreendidos 63kg do entorpecente que estavam distribuídos em duas malas de viagem, dentro de um contêiner. Na época, ninguém foi preso porque o equipamento já estava na aeronave, que também seguiria para Lisboa.
 Em março de 2018 também houve outra apreensão semelhante. Na época, foram 153kg de cocaína que seguiriam também para Lisboa. A presença da droga foi detectada pela própria companhia aérea, que acionou a Polícia Federal e a Receita. A partir da apreensão houve uma investigação e cerca de quatro meses depois, dois funcionários, um da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos e outro terceirizado de uma companhia foram presos durante uma operação denominada “Conexão Lisboa”.
Além das apreensões com passageiros e em cargas formais, também foram apreendidas cerca de 65kg de drogas, neste ano, em pequenas cargas despachadas.      
Em nota, a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos informou que apoia todas as operações realizadas pela Polícia Federal e Receita Federal e auxilia com informações requisitadas pelos órgãos públicos nas investigações. “Cabe destacar que o tratorista citado na apreensão não é funcionário do aeroporto. Ele trabalha para uma empresa terceirizada que presta serviço direto à companhia aérea. Já no caso ocorrido no ano passado, o funcionário em questão foi demitido e responde à Justiça pelas acusações”, frisou.

Compartilhe