• Post category:Destaques
“Vão matar meu pai”, disse criança que viu perseguição e morte do pai em Marília
Compartilhe

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Marília vai investigar o assassinato de Franco Nero de Moraes, 33 anos, alvejado por disparos de arma de fogo na noite de sábado (26/09) no bairro Professora Liliana de Souza Gonzaga, na zona Norte.

Ele havia deixado o sistema prisional recentemente e é apontado como um dos autores do homicídio do jardineiro Adilson Caetano, de 42 anos, conhecido como ‘Bodão’, em dezembro do ano passado na mesma região da cidade.

Nero e Bodão teriam se envolvido com a mesma mulher, conhecida como ‘Loira’, dona de um bar nas proximidades do assassinato deste sábado. Ela estaria presa por tráfico de drogas.

O homicídio de Nero aconteceu em uma residência localizada na rua Lupércio Rodrigues de Campos, por volta das 23h43. Segundo o boletim de ocorrência, testemunhas que moram no imóvel disseram que inicialmente uma criança de aproximadamente nove anos entrou na sala e disse “chama a polícia que vão matar meu pai”.

Logo em seguida a vítima teria entrado na mesma residência, sendo perseguida por quatro jovens de aproximadamente 18 anos – ou até mesmo mais novos. Nero teria sido encurralado na garagem, onde foi atingido pelos tiros.

Um dos autores teria dito para ele: “paga, paga, agora você vai pagar”. No registro policial não fica claro se Nero teria alguma relação com as pessoas que residem no imóvel onde ele foi assassinado, ou se ele e seu filho entraram ali de forma aleatória.

Fonte: Marília Informa

Compartilhe

Deixe uma resposta