Compartilhe

Nosso corpo precisa de alimento! Essa é uma verdade que não precisa de prova.

De modo geral, a ideia básica de alimento, para as pessoas, é comida e bebida. Mas, alimento não está reduzido a comida e bebida porque, também, o sono é alimento! O sol é alimento! O descanso é alimento. O amor é alimento…

Nosso corpo até passa com comida e bebida. Mas, nós precisamos é de alimento!

Você tem fome do que? Você tem sede do que? O que tem alimentado você?

Se para você basta comida e bebida, não pode haver outro horizonte e esperança senão o de luta e sacrifícios para obter a ‘ração diária’. E que pena se sua esperança for somente essa para a vida. Você estará nutrindo um grande vazio.

Com carne e cebola o Egito sustentou uma política econômica escravocrata, sobre o Povo de Deus, durante quatrocentos anos. Com pão e circo (comida e diversão) os romanos criaram a ideologia de dominação do povo, pelo apassivamento e conformismo.

Nós não somos só o que comemos e bebemos. Nós somos o que comemos e o que bebemos e muito mais. Nós somos o sonho, a luta, os desafios, as dores, os sacrifícios, as renúncias, as labutas… tudo o que comporta providência e decisão pelo alimento.

A fé nos chama a pensar sobre o alimento e sua providência com os olhos de Deus: “Eu sou Javé seu Deus, que o tirei da terra do Egito. Abra sua boca, e eu a encherei. Ah! Se meu povo me escutasse, se Israel andasse em meus caminhos… Eu alimentaria você com a flor do trigo e o saciaria com o mel do rochedo” (Sl 81,11.14.17).

Temos muito o que esperar do alimento do que só encher o estômago: “O Reino de Deus não é questão de comida ou bebida; é justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Rm 14,17).

Entender como Deus nos alimenta e quais são as providências pelo alimento é fundamental para a gente vencer a limitada compreensão física e material do alimento e desenvolver a iluminada visão humana e existencial dele. É Deus que diz: “Vem eu te sacio!”

Você não pode comer da árvore do conhecimento do bem e do mal. “E Javé Deus ordenou ao homem: ‘Você pode comer de todas as árvores do jardim. Mas não pode comer da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, com certeza você morrerá’. Então a mulher viu que a árvore tentava o apetite, era uma delícia para os olhos e desejável para adquirir discernimento. Pegou o fruto e o comeu; depois o deu também ao marido que estava com ela, e também ele comeu. Então abriram-se os olhos dos dois, e eles perceberam que estavam nus” (Gn 2,15-17;3,6-7).

Decidi levá-los para uma terra onde corre leite e mel. “Vá, reúna os anciãos de Israel e diga a eles: ‘Javé, o Deus dos antepassados de vocês, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó, ele me apareceu e disse: Eu vim ver vocês e como estão tratando vocês aqui no Egito. Então eu disse: Eu decidi tirar vocês da opressão egípcia e levá-los (…) para uma terra onde corre leite e mel’.” (Ex 3,16-17).

Não fiquem preocupados com a vida, com o que comer. “Quanto a vocês, não fiquem procurando o que vão comer e o que vão beber. Não fiquem inquietos. Porque são os pagãos deste mundo que procuram tudo isso. O Pai bem sabe que vocês têm necessidade dessas coisas. Portanto, busquem o Reino dele, e Deus dará a vocês essas coisas em acréscimo” (Lc 12,29-31).

Tomem e comam, isto é o meu corpo. Tomem e bebam isto é o meu sangue. “Enquanto comiam, Jesus tomou um pão e, tendo pronunciado a bênção, o partiu, distribuiu aos discípulos, e disse: ‘Tomem e comam, isto é o meu corpo.’  Em seguida, tomou um cálice, agradeceu, e deu a eles dizendo: “Bebam dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados” (Mt 26,26-28).

Não permita que seu alimento seja só para o corpo! Ouça o que o senhor está dizendo: Vem eu te sacio!

Compartilhe

Deixe uma resposta