Vigilância sanitária interdita asilo com surto de Covid após determinação da Justiça
Asilo Casa Emanuel em Tupã
Compartilhe

Prédio já estava fechado desde o dia 13 de julho. Catorze idosos morreram após serem diagnosticados com a doença; no total 47 moradores e 18 funcionários foram infectados.

Por determinação da Justiça, a Vigilância Sanitária de Tupã (SP) interditou nesta segunda-feira (3) Casa Emanuel, o asilo onde 14 idosos morreram após serem diagnosticados com Covid-19.

A decisão da Justiça atende a uma ação do Ministério Público. O pedido da promotoria foi feito mais de 20 dias após a primeira morte no asilo, que está fechado desde o dia 13 de julho. Todos os idosos foram transferidos pra um outro prédio.

Quarenta e sete moradores do abrigo e 18 funcionários foram infectados pelo coronavírus. Segundo a prefeitura, a suspeita é que o primeiro caso foi de uma funcionária do abrigo que fazia dupla jornada.

A avó de Camila Lúcia Silva é uma das idosas que não conseguiu vencer a batalha contra a Covid-19. Dona Judite tinha 79 anos.

“Ela começou a passar mal com falta de ar; ela não conseguia falar; ela não conseguia mais reconhecer a gente; começou ter perda de memória”, lembra.

Uma idosa que vivia na Casa Emanuel ainda está internada na UTI da Santa Casa de Tupã.

Desde o início da pandemia, além das 14 mortes na Casa Emanuel de Tupã, outras 11 foram registradas em abrigos ou casas para idosos no Centro-Oeste Paulista.

Tupã contabilizava até a manhã desta terça-feira (4), 357 casos e 21 mortes por Covid-19. As mortes no asilo representam 66% do total de mortes na cidade.

Avó de Camila morreu após ser diagnosticada com Covid-19 em Tupã  — Foto: TV TEM / Reprodução

Avó de Camila morreu após ser diagnosticada com Covid-19 em Tupã

FONTE: G1

Compartilhe