Acusado de matar o irmão em Ourinhos é indiciado por homicídio qualificado
Compartilhe

O operador de máquina, Leandro Alves da Silva de 43 anos, acusado de matar o próprio irmão, o também operador  de máquina, Claudemir Alves da Silva de 38 anos, na noite deste domingo, 29, na Vila Musa em Ourinhos, foi indiciado por homicídio qualificado, “com emprego de meio insidioso ou cruel, ou de que resulte perigo comum”.

O crime aconteceu por volta das 19h45, na casa do pai dos irmãos, o senhor Almir de 69 anos, na Rua João Maria Camargo.  De acordo com a primeira versão, obtida pela Polícia Militar, ao chegar na casa de Almir, os policiais encontraram Claudemir (a vítima) sendo atendido pela equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), o qual constatou o óbito ainda no local do crime.

Os policiais militares questionaram Leandro (o autor), que informou que seu irmão, que seria usuário de entorpecente e bebida alcoólica, chegou alterado na casa, quando ameaçou o seu pai (Almir) com uma faca. Em razão disso, usou força física e tomou a faca do irmão com a ajuda do seu pai. Neste instante, entrou em luta corporal com seu irmão, momento que Claudemir caiu de barriga para baixo e Leandro caiu por cima da vítima e teria empregado uma “chave cervical”, uma espécie de “mata leão” por tempo significativo, o que causou o óbito de Claudemir.

Já na CPJ, Leandro, na presença de seu advogado, negou ter empregado a “chave cervical”, dizendo que não segurou o pescoço do irmão e sim pressionou a cabeça dele contra o chão por tempo significativo. No entanto, Leandro disse que seu irmão podia respirar, já que sua cabeça estava um pouco de lado.

Já o pai dos envolvidos, o senhor Almir, em seu depoimento, disse que Leandro segurou a vítima pelo pescoço por cerca de 20 a 30 minutos, enquanto estava caído de bruços. O pai disse ainda que advertiu o filho mais velho, para que ele soltasse Claudemir, porém ele somente soltou com a chegada do SAMU.

Diante das versões, a delegada se convenceu de que Leandro teve a intenção de matar o seu irmão, pois realizou a “chave cervical” por longo tempo, até mesmo quando o seu irmão estava  desfalecido, bem como foi advertido do risco de enforcar a  vítima, o que não o fez soltá-lo.

Leandro foi autuado em flagrante e encaminhado à cadeia pública de São Pedro do Turvo, onde ficará à disposição da justiça. A justiça vai decidir se ele responderá pelo crime em liberdade ou será decretada a prisão preventiva. Leandro tem emprego e residência fixa, o que pode fazer com que ela responda pelo crime em liberdade.

O corpo de Claudemir foi encaminhado ao IML (Instituto de Criminalística de Ourinhos) e passou por exame necroscópico. A família ainda não informou horário de velório e nem sepultamento.

Nas redes sociais, familiares e amigos falam que tudo não passou de grande fatalidade. Irmã dos envolvido, Solange fez uma postagem pública dizendo para que as pessoas guardem suas opiniões, pois estão todos sofrendo muito com o que aconteceu:

Fonte: Passando a Régua

Compartilhe

Deixe uma resposta