Agricultura contra fome
Compartilhe

Então olhei para o campo e ví o Brasil …

– Quero saber apresenta:

“… a ministra Tereza Cristina, escreveu em sua conta no Instagram que participou da 3ª Reunião Hemisférica de Ministros e Secretários de Agricultura das Américas, onde falou sobre a importância de evitar a consolidação de visões restritivas e excludentes sobre os sistemas alimentares que comprometam a segurança alimentar e nutricional da população mundial …

* O desafio é incluir, não excluir?

* Você lembra do Comunidade Solidária?

* A fome afeta 42,5 milhões de pessoas na América Latina e Caribe?

A América Latina e o Caribe, fortemente afetados pela pandemia do Sars-Cov-2, devem ultrapassar este ano a marca de 83 milhões de pessoas na pobreza extrema, segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Você lembra do programa Comunidade Solidária criado em 1995 pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, que em dezembro de 2002, foi substituído pelo Programa Fome Zero. Segundo a ministra da Agricultura do governo do presidente Jair Messias Bolsonaro… ” nós não podemos deixar ninguém para trás, devemos erradicar a fome do mundo na próxima década…” Realmente é um desafio colocar em prática a inclusão. Oferecer alimento barato é atitude humanitária excelente. Devemos sim aumentar a oferta de alimentos no mundo para baixar os preços para os mais pobres. O pobre tem que pagar barato seu sustento e manutenção aqui na terra. Quando colocamos no mercado abundância de produtos, aumentando a oferta, os preços abaixam. Nós graças à Deus temos no Brasil bastante terra e espaço para plantar. Fazendo isso estamos alimentando nosso povo e a humanidade. Diminuir o custo de vida é uma obrigação para todos que estão no poder; assim estamos realmente fazendo justiça social e  praticando a paz, o sossego a tranquilidade,  que é o bem mais precioso da humanidade.

– Por hoje é isto. Boa semana e, até a próxima com uma palavra Brasiliana. Todos pelo Brasil.

Compartilhe

Deixe uma resposta