QUARTO DIÁLOGO. Os ministros Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Takamori Yoshikawa (Agricultura, Floresta e Pesca do Japão) acertaram a realização do Quarto Diálogo Brasil-Japão em agosto. O evento ocorrerá no Brasil. Tereza Cristina reuniu-se com o ministro no primeiro dia da visita da ministra ao Japão. Yoshikawa se comprometeu a vir ao Brasil para o Quarto Diálogo.
MERCADO JAPONÊS. No encontro, os ministros debateram a abertura do mercado japonês para exportação de carnes in natura e frutas, como abacate. Esses temas devem, inclusive, ser debatidos pelos dois países em agosto.
CAFÉ. Em seu segundo dia visita ao Japão, a ministra Tereza Cristina tomou um ‘cafezinho’ com importadores japoneses de cafés especiais brasileiros. A ministra e delegação participaram da promoção de cafés especiais nacionais na UCC Coffee Academy, reconhecida escola de barismo de Tóquio pertencente à Ueshima Coffee Company (UCC), maior torrefadora do Japão. 
SUDESTE ASIÁTICO. Os mais de 100 convidados tiveram a oportunidade de degustar várias amostras de cafés com aromas diferenciados, como do cerrado mineiro. A ideia é aumentar o consumo do produto pelo Japão e demais países da Ásia, continente considerado a nova fronteira para o mercado do café. O evento foi uma parceria da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do ministério e a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).
ABACATE. “Essa fruta brasileira [abacate] tem uma grande aceitação no Japão, usada na alimentação e também nos cosméticos. É uma fruta muito procurada pelos japoneses. Em breve, acho que teremos esse mercado aberto para o Brasil”, disse a ministra, ao fazer um balanço do primeiro dia de visita.
AGRICULTURA FAMILIAR. O Ministério da Agricultura, está elaborando novo cadastro voltado para a agricultura familiar com previsão inicial para o lançamento em 6 de junho. O anúncio foi feito pelo secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, Fernando Schwanke no Senado Federal.
BIOINSUMOS. O potencial de inovação dos insumos biológicos e orgânicos para a agropecuária brasileira foi tema de um seminário interno realizado, pela Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Ministério da Agricultura. O seminário foi organizado pela Coordenação-Geral de Novos Insumos e Serviços.

ARROZ/FEIJÃO. Na viagem ao Japão, a ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina destacou que todos os requisitos fitossanitários foram cumpridos pelos dois países (México e Brasil). A venda de arroz para os mexicanos era uma demanda antiga dos produtores brasileiros, segundo a ministra. “Quero dizer da felicidade dos nossos produtores de arroz, principalmente do Rio Grande do Sul, que esperavam por essa oportunidade de exportar arroz para o México. Recebemos o feijão mexicano para completar o nosso prato principal, o arroz com feijão”, disse Tereza Cristina, ao lado do secretário do México. Os mexicanos importam cerca de 80% do arroz que consomem.
BENEFÍCIO. O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) está investindo US $ 68 milhões para construir ou melhorar instalações comunitárias e serviços essenciais para cerca de 715.000 residentes rurais em 13 estados e também em Porto Rico. “Ter acesso a educação de alta qualidade, assistência médica, segurança pública, infraestrutura comunitária e serviços municipais é crucial para alcançar a prosperidade”, disse um funcionário do Departamento de Agricultura. “Sob a liderança do secretário Perdue, o Departamento está comprometido em fazer parcerias com líderes comunitários rurais para melhorar a qualidade de vida e o desenvolvimento econômico na América rural.

AGRO-URBANA. Cerca de 100 empresas, institutos e universidades debatem o sistema de produção agrícola na cidade, que já é realidade no exterior. A agricultura urbana vem ganhando mercado em países da Europa, Oriente Médio, Ásia e Estados Unidos. No Brasil, esse tema ainda é incipiente. O Instituto Agronômico (IAC) realizou, o I Workshop Urban Farming. A secretária executiva da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gabriela Chiste, compareceu ao evento e disse: “a ação é moderna e inovadora, como a Secretaria atual. Esse assunto é provocador e essa discussão proposta neste evento é importantíssima; o Brasil não deveria estar atrasado nesse assunto”, afirmou a secretária.

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia