Carnaval tem redução de crimes e acidentes em estradas
Compartilhe

 

Balanço divulgado nesta quarta-feira pela Secretaria de Segurança Pública, a partir de dados de ocorrências registradas pelas polícias Militar e Civil, apontam a redução no número de homicídios e roubos durante a Operação Carnaval Mais Seguro, realizada entre a meia-noite de sexta-feira (1º de março) até as 23h59 de terça-feira (5 de março). Informação do comando da Polícia Rodoviária Estadual também apontou redução no número de acidentes nas estradas da região durante o período da folia. Houve ainda reforço nas esquipes de serviço para uma melhor prevenção aos delitos, maior número de prisões e apreensão de drogas.

 

Conforme dado do comando de policiamento, houve uma redução de 47,6% no número de homicídios dolosos no Estado, caindo de 63 durante a folia de 2018 para 33 este ano. O volume de assaltos recuou 4,9% (de 3.152 para 2.996). Os roubos de veículos caíram 22,1% (752 contra 586) e as ocorrências de ataques a bancos reduziram pela metade, com apenas um registro no território paulista. A queda no roubo de cargas foi de 19,4%.

 

A ação das polícias também fez com que os furtos diminuíssem 0,9%, com 71 ocorrências a menos que em 2018. O furto de veículos também caiu de 1.069 para 834, uma redução de 22% (235 casos a menos). Os latrocínios caíram pela metade, de quatro para dois. Os estupros apresentaram queda de 12,2%, de 41 para 36.  Houve uma ocorrência a mais que em 2018 de estupro de vulnerável. Em Palmital, conforme consulta do JC à Delegacia da Polícia Civil, houve o registro de apenas uma ocorrência de captura, na segunda-feira, de um homem que tinha contra si mandado em aberto devido à medida protetiva em processo de violência doméstica.

De acordo com o governo, a operação Carnaval Mais Seguro contou com um aumento de efetivo de até 40%. O maior contingente repercutiu no trabalho ostensivo, que resultou em um volume 197,7% maior de pessoas presas em relação a 2018. Foram 93 adolescentes apreendidos, contra 20 no ano passado (alta de 365%). No mesmo período, a quantidade de recapturados subiu 331,9%, com 298 capturas. Foram abordadas 192.902 pessoas, ante 83.096 em 2018, ou seja, 132,1% a mais.

 

Os policiais também conseguiram recuperar 251 carros a mais que o ano passado, chegando a 321. E o total de fiscalização nos veículos neste ano chegou a 122.315, um aumento de 66,6%. O total de drogas apreendidas aumentou em 17,3%, chegando a 726,4 quilos. No ano passado o total ficou em 618,9 quilos.

 

RODOVIAS MAIS SEGURAS

O comando do Segundo Batalhão de Polícia Rodoviária (2º BPRv), com sede em Bauru e que responde pelas rodovias das áreas de Marília, Assis e Ourinhos, divulgou nesta quarta-feira o balanço da Operação Carnaval 2019. Os dados apontam para a redução no número de acidentes nos mais de 4.500 km de rodovias que compões a área de atuação da corporação na região, incluindo a Raposo Tavares e a Nelson Leopoldino.

 

Segundo a Polícia Rodoviária, houve na região diminuição de 25% no número de acidentes de trânsito, caindo das 72 registradas em 2018 para 54 neste Carnaval. Houve também queda de 10,5% no número de acidentes com vítimas, passando de 38 para 34. O órgão de policiamento destacou em nota que a redução da violência nas estradas poderia ser ainda maior, se não fosse o comportamento imprudente de alguns condutores, pois a análise das ocorrências apontou que a maioria delas poderia ter sido evitada.

 

A Polícia Rodoviária também divulgou dados dos trabalhos de fiscalização desenvolvidos nas estradas da região, totalizando 3.625 autuações por infrações de trânsito, das quais 288 foram por ultrapassagem em local proibido e 786 por não uso do cinto de segurança. Houve ainda a captação de 4.769 imagens de radar para veículos que excederam a velocidade. Os policiais também realizaram 5.861 testes de bafômetros, resultando em 213 autuações por embriaguez ao volante e 11 prisões por crime e trânsito. O caso mais grave ocorreu em Paraguaçu Paulista na segunda-feira, quando um motorista bêbado provocou acidente que resultou em uma morte.

 

Compartilhe

Deixe uma resposta