Com poucas pistas, policia segue investigando desaparecimento de Emanuelle
A menina Emanuelle de Castro foi encontrada morta, enterrada em canavial. Foto Divulgação

A Polícia Civil não conseguiu até o momento definir uma linha de investigação que ajude a elucidar o paredeiro da pequena Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, que segue desaparecida desde a última sexta-feira (10/01), enquanto brincava em uma praça em Chavantes (SP).

 

De acordo com o delegado responsável pela seccional de Ourinhos, Antonio José Fernandes Vieira, várias pessoas já foram entrevistadas e nenhuma hipótese pode ser descartada sobre o sumiço da menina. “Esperamos que ela esteja viva, mas não podemos descartar nada. Crimes acontecem em cidades grandes e pequenas, infelizmente, ela pode ter sido levada ou raptada, estamos investigando”, afirmou o delegado em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (13/01).

 

Ainda segundo ele, a polícia está levantando imagens de câmeras de segurança de possíveis locais que Emanuelle possa ter passado após deixar a praça onde foi vista pela última vez. “Queremos ter o maior numero de imagens possíveis que poderão identificar as pessoas que estavam na praça no momento em que ela desapareceu”, destacou.

 

O caso Emanuelle está mobilizando a região, a menina brincava no parquinho do bairro Cohab, como fazia habitualmente e de acordo coma a mãe, que ia verificar de vez em quando como a criança estava, por volta de 17h, a criança não foi mais vista. Câmeras de segurança mostram a menina sentada em um banco da praça onde desapareceu.

 

Voluntários do Sicoe, Anjos da Guarda, de Marília (SP), estiveram na cidade no final de semana para ajudar nas buscas, mas nenhuma pista foi encontrada sobre o paradeiro da menina.

 

Também no final de semana a Polícia Militar colaborou nas buscas por Emanuelle tentando encontrar pistas da criança com a ajuda de um cão farejador, os policiais ouviram moradores e analisaram imagens do circuito de segurança de estabelecimentos próximos ao local.

 

Buscas também foram feitas em um canavial da cidade, uma vez que existia a suspeita de que Emanuelle teria sido vista na garupa de uma moto. Porém, a hipótese já foi descartada pelos investigadores. A população pode ajudar a polícia com pistas ou informações úteis ligando de maneira anônima no número 181, com a PM através do 190 e com a Polícia Civil, pelo 197.

Fonte: Achei Santa Cruz

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia