Declarado como morto, homem aparece em casa 4 dias após funeral
Compartilhe

Julio Sarmiento, de 65 anos, retornou para casa após quatro dias de seu funeral. A história do “morto” que apareceu vivo aconteceu após a esposa, Victoria Sarmiento, identificar incorretamente um corpo no necrotério. A mulher acabou enterrando, no dia 30 de dezembro, uma vítima desconhecida de coronavírus. O caso aconteceu em El Carmen, em Honduras.

De acordo com informações do jornal La Prensa, preocupada, Victoria levou seus documentos de identidade ao hospital local, onde funcionários disseram que o marido dela havia morrido recentemente de coronavírus.

Após a notícia, a mulher contratou uma agência funerária para transferir o corpo do homem por 48 quilômetros do hospital para sua aldeia rural no município de San Nicolas, Copan, no oeste do país. No total, Victoria disse que gastou 10.500 lempiras (R$ 2.310) para as despesas do funeral.

De acordo com o hospital, um dos filhos de Julio ligou para eles expressando dúvidas sobre o morto após a abertura do caixão no dia do funeral, mas posteriormente prosseguiu com a cerimônia.

O diretor do hospital, Juan Carlos Cardona, insistiu com a mulher que identificou erroneamente o corpo que o homem era seu marido.

A VOLTA

A família ainda estava de luto quando, quatro dias depois, Julio voltou para casa após ter sido encontrado ferido em um campo no município vizinho de Trinidad.

Ele havia saído para dar um passeio, mas caiu e não conseguiu se levantar, permanecendo ali vários dias sem comer ou beber.

A senhora Sarmiento ainda informou: “Gostaria que me devolvessem um pouco do que gastei, porque me deram o corpo de alguém que não conheço. As autoridades do necrotério deveriam tê-lo examinado adequadamente para ver se era mesmo ele”.

Fonte: Metrópoles

Compartilhe

Deixe uma resposta