Compartilhe

O que você pretende alcançar em sua vida? Está disposto aos sacrifícios e renúncias inerentes à sua caminhada? Vale a pena correr os riscos?  Compensa os investimentos? O que você pretende experimentar: prazer ou realização; gozo ou contentamento; fama ou satisfação; status ou crescimento?

Na vida, podemos alcançar tudo o que a gente quiser; melhor ainda, tudo o que a gente precisa, na sua maior grandeza. Mas é preciso que despertemos do sono, da apatia, da indiferença, do descaso. Olhando para a vida, fazemos uma constatação importante: “O homem nascido de mulher: tem vida curta e cheia de inquietação. Ele se abre como flor, e logo murcha; foge como a sombra, sem parar. Para onde vai o homem quando expira?” (Jó 14,1-2.10).

Será que vale a pena viver?

“O justo perece, e ninguém se incomoda; os homens de bem são eliminados, e ninguém se importa” (Is 57,1).

Muitas vezes nos vemos sozinhos nesse mundo; perdidos e acuados. Quem se importa conosco; com a nossa causa; com os nossos problemas; com a nossa vida? Por vezes, dá a impressão que, até Deus está distante, desatento e dormindo! E nosso íntimo reclama: “Desperta, Senhor! Por que dormes? Acorda! Não nos rejeites mais!” (Sl 44,24). “Desperta o teu furor e derrama a tua ira, para destruir o adversário e abater o inimigo” (Eclo 36,6). “Sem eu ter culpa, eles avançam para me atacar. Desperta! Vem ao meu encontro e olha!” (Sl 59,5). “Desperta! Levanta-te pelo meu direito, por minha causa, meu senhor e meu Deus!” (Sl 35,23). “Perante Efraim, Benjamim e Manassés! Desperta o teu poder e vem socorrer-nos” (Sl 80,3).

Mas o Senhor, que “nunca dorme e nem cochila” (Sl 121,4), nos chama a atenção, dizendo: “Por que, então, quando eu venho, não encontro ninguém, e quando eu chamo, ninguém responde? Será que minha mão ficou tão curta que eu não posso libertar? Ou será que já não tenho mais força para salvar?” (Is 50,2).

Porque Deus está conosco, sempre, e nos defende, também nos alerta: “Escutem-me, vocês que andam à procura da justiça e que buscam a Javé. Olhem bem para a pedreira de onde vocês foram tirados, reparem bem o talho de onde vocês foram cortados: olhem para Abraão, o pai de vocês; reparem em Sara, que os deu à luz. Quando eu o chamei, ele era um só; mas eu o abençoei e multipliquei” (Is 51,1-2).

Se continuamos indiferentes, a vida passa e não tiramos proveito de nada que nos é concedido. Por isso, também, diz o Senhor: “Já é hora de vocês acordarem: a nossa salvação está agora mais próxima do que quando começamos a acreditar. A noite vai avançada, e o dia está próximo. Deixemos, portanto, as obras das trevas e vistamos as armas da luz. Vivamos honestamente, como em pleno dia: não em orgias e bebedeiras, prostituição e libertinagem, brigas e ciúmes. Mas vistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não sigam os desejos dos instintos egoístas” (Rm 13,11-14).

Reconheça, portanto, a graça de Deus sobre ti e diga: “O Senhor Javé me deu a capacidade de falar como discípulo, para que eu saiba ajudar os desanimados com uma palavra de coragem. Toda manhã ele faz meus ouvidos ficar atentos para que eu possa ouvir como discípulo. O Senhor Javé abriu meus ouvidos e eu não fiz resistência nem recuei” (Is 50,4-5).

Diga a Deus e ao mundo, com sinceridade: “Quanto a mim, com justiça verei a tua face; ao despertar, eu me saciarei com a tua imagem” (Sl 17,15). “Posso deitar-me, dormir e despertar, pois é Javé quem me sustenta” (Sl 3,6). “De fato, é Deus que desperta em vocês a vontade e a ação, conforme a sua benevolência” (Fl 2,13). “Tudo o que se torna manifesto é luz. É por isso que se diz: ‘desperte, você que está dormindo. Levante-se dentre os mortos, e Cristo o iluminará’” (Ef 5,14).

Desperte para a vida! Levante-se desse sono de morte!

Compartilhe

Deixe uma resposta