“Dói, dilacera, destrói um pai, um socorrista”, escreve bombeiro que atendeu acidente com morte de seis pessoas da mesma família
Compartilhe

O socorrista Patrick Dipp da Silva, que foi um dos bombeiros que atendeu a ocorrência com seis mortes da mesma família, que aconteceu na madrugada de sexta-feira (30/08), na BR-386, em Soledade (RS), escreveu um relato nas redes sociais, expressando o que sentiu após o atendimento.

 

“Pensar no meu pequeno VHS [filho] enquanto atendo é inevitável, claro, sempre com o profissionalismo intrínseco de todo Bombeiro Militar. Dói, dilacera, destrói um pai, um socorrista, um bombeiro. O que fica é a vontade de chegar em casa e te abraçar, amar intensamente, meu filho”, diz Patrick na publicação.

 

Em entrevista à RBS TV, o socorrista contou que a guarnição foi acionada por volta das 4h15. “Dois carros praticamente destruídos, uma família inteira dentro de um veículo, e o condutor no outro veículo. E também uma criança, o único sobrevivente no momento, do veículo que estava a família. Uma criança de 6 anos, o que acabou mexendo bastante com a nossa guarnição. Felizmente, a gente conseguiu resgatar ele com vida. Mas, infelizmente, ele chegou no hospital em óbito”, conta.

 

O socorrista relatou que tem um filho de 4 anos. Ele acrescentou que manteve o profissionalismo no momento da ocorrência, mas, depois, refletiu sobre o que ocorreu.

 

 

“A gente acaba sendo profissional naquele momento, e após, a gente vai pensar aí no que realmente aconteceu, o que pode ter gerado aquele acidente, e o que aquelas pessoas podem ter sofrido, seus familiares, e as demais pessoas que presenciaram a cena. Pelo fato daquilo ter ocorrido com uma criança, e eu ser pai, há 4 anos e oito meses, do meu pequeno Vitor Hugo, acredito que ontem a mensagem final, apesar ter um alerta quanto ao trânsito, também teve um alerta quanto a família”.

 

“Hoje, a gente está muito ligado sempre atrás da máquina, e a gente acaba achando que nossos filhos precisam sempre de bens materiais, eu falo por mim, e acredito que falo por muita gente também, a gente acaba enchendo nossos filhos de coisas supérfluas, e o amor e o carinho que a gente pode dar para eles, a gente acaba, as vezes, deixando passar”, acrescenta.

 

O bombeiro contou que recebeu informações de que a família que morreu estava indo para um casamento no Paraná. “Para viver um momento feliz e acaba acontecendo uma tragédia”.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta